Share Button

Por Valdo Cruz – via G1

Bolsonaro acompanhado do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello | Foto: Carolina Antunes/PR

Bolsonaro acompanhado do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello | Foto: Carolina Antunes/PR

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro e parte de sua equipe minimizam a possibilidade de uma segunda onda da Covid-19 no Brasil, aliados do presidente estão preocupados com o risco de o governo não tomar as medidas necessárias e defendem que o Ministério da Saúde elabore desde já uma estratégia para enfrentar esse cenário.

Até aqui, o presidente já disse que falar de uma segunda onda no Brasil é “conversinha” e até sua equipe econômica divulgou que as chances de isso acontecer são “baixíssimas” e que já teríamos atingido a imunidade de rebanho, algo que é contestado pelos especialistas.

Esse discurso do Palácio do Planalto e do Ministério da Economia despertou preocupação entre aliados do presidente no Congresso, que já estão se articulando para manter contatos com as autoridades da área da Saúde, entre elas algumas do próprio ministério e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para tentar garantir um planejamento.

A expectativa é que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que contraiu a Covid-19 e passou por um tratamento difícil, mas já está recuperado, esteja bem mais sensível à necessidade de adotar medidas de prevenção para o caso de um agravamento da crise sanitária no país. Neste momento, a taxa de transmissão do coronavírus voltou a aumentar, preocupando especialistas da área.