WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Home . Inicio



Laboratório Checap drogaria_santana

Cão farejador da polícia encontra 160 kg de maconha em casa na Bahia; mulher é presa

Share Button
Foto: Divulgação/SSP

Foto: Divulgação/SSP

Uma mulher foi presa após após o cão farejador da polícia encontrar 160 Kg de maconha na casa onde ela estava, na cidade de Santo Estevão, região centro-norte da Bahia, na terça-feira (2). De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP-BA), denúncias anônimas e trabalho de campo levaram policiais das Rondas Especiais (Rondesp) Leste, da 57ª Companhia Independente da PM (CIPM/Santo Estevão) e da Polícia Federal até uma casa, na Avenida Cardeal da Silva. Quando uma mulher chegou no imóvel foi abordada e autorizou a busca na parte interna da residência, onde encontrou, com a ajuda do cão, a droga em vários cômodos. Além dos entorpecentes, os policiais apreenderam ainda munições, balança e um veículo modelo SW4. A mulher e todo o material foram apresentados na sede da PF, em Feira de Santana. Para o comandante do Policiamento na Região Leste, coronel Luziel Andrade, a ação é “mais uma demonstração de trabalho conjunto e irmanado [das polícias estadual e federal] com o objetivo de combater o tráfico.”

Notícias de Santaluz




1 resposta para “Cão farejador da polícia encontra 160 kg de maconha em casa na Bahia; mulher é presa”

  • JOSÉ PLÍNIO DE OLIVEIRA disse:

    Quando uma IRMÃ MULHER é presa em tais circunstâncias, seria o caso de os Grupos de Defesa da Mulher empreenderem esforços hercúleos para levantar as causas que levam uma Mulher a ingressar na vida do crime; no caso o narcotráfico; o que não vinha sendo muito comum na vida da Mulher. Deve estar a ocorrer um fenômeno social muito estranho. Assim como pessoas do sexo masculino que o fazem contrariando uma resistência interior intrépida. É muito triste, mas quando vivi imerso no Holismo Cultural do eixo Sudeste/Sul do Brasil conheci pessoas que foram constrangidas a ingressar na vida do crime, forçadas pelas necessidades prementes de subsistência e pela repressão policial ladra, bandida e covarde. No Rio de Janeiro, por exemplo. O que o Estado e a sociedade fazem em favor de uma pessoa em estado de extrema necessidade que quer uma oportunidade de trabalho e vida digna, mas encontra todas as portas fechadas? Qual o telefone do Estado disponível para uma pessoa em situação de desespero, na iminência de entrar na vida do crime, para solicitar ajuda HUMANITÁRIA, orientação, formação e restauração? E ainda sob os ônus da repressão policial implacável do Estado para humilhá-lo, extorqui-lo, roubá-lo e maltratá-lo por ser negro, pobre e etc. Como se diz aqui no Sertão, eu ficava virado no cabrunco quando assistia a uma realidade assim. E foram incontáveis na minha vida profissional! Já o narcotráfico abre as portas e socorre o indivíduo do Morro, da Favela, da Periferia oprimido faminto e ameaçado pela miséria extrema. Infelizmente, essa é a verdade nua e crua! Eu ficava transtornado quando via um trabalhador pobre, desempregado e excluído ter que ingressar no mundo do crime por falta de apoio e por excessiva truculência da parte do aparelho repressivo do Estado; ao invés de apoio Humano, Social, constitucional. Nos termos da CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. O que será dessa pobre Mulher agora?

Deixe seu comentário







WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia