Share Button
maycon-junior

Maycon e Júnior em foto postada no Facebook; ao lado, o aviso endereçado a eles | Reprodução/Facebook

O professor Júnior Santos, de 24 anos, e o seu namorado, o servidor público Maycon Aguiar, de 23 anos, receberam uma carta pedindo para que se mudem do prédio onde moram, na Zona Norte do Rio, por serem gays e um deles ser negro. De acordo com VEJA, as duas folhas de papel com conteúdo homofóbico e racista foram deixadas na janela da residência na última sexta-feira — os dois moram no local há cerca de um mês. Repleta de erros de português, a carta cita um versículo da Bíblia para dizer que a homossexualidade é “errônea e aberrativa” e que “Deus não criou homem para se relacionar com homem ou mulher com mulher”. “Poupe-nós (sic) e nossos filhos de conviverem com gente da laia de vocês! Gente de cor e ainda por cima afeminada não está no nível dos moram (sic) aqui por favor se retirem!”, diz outro trecho do recado. Conforme a publicação, Júnior e Maycon teriam sido informados na delegacia de que nada poderia ser feito no caso, já que não há assinatura ou nomes na carta. O casal procura, agora, alguma forma de ter acesso às câmeras de segurança que podem ter registrado o momento em que o aviso foi colocado em sua janela.