WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Home . Inicio


:: ‘Destaque2’

Vistoria encontra excesso de remédios na cela de Geddel, que recusa perícia

Share Button
O ex-ministro Geddel Vieira Lima (Foto: Reprodução/TV Globo

O ex-ministro Geddel Vieira Lima | Foto: Reprodução/TV Globo

O ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso no Complexo da Papuda desde 2017, recusou-se a se submeter a uma perícia determinada pela Justiça Federal após a vigilância da prisão encontrar excesso de medicamentos em sua cela em abril deste ano, de acordo com o blog de Andreia Sadi, do portal G1. Em decisão do dia 5 de junho, a juíza Leila Cury relatou que mandou apurar “situação fática envolvendo o preso provisório Geddel Quadros Vieira Lima, o qual teria ingerido vários medicamentos e, por isso, estaria “se portando de maneira estranha”. Segundo a juíza, a vigilância do CDP (complexo penitenciário) localizou na cela de Geddel diversos medicamentos, como: Nexium 40mg (65 comprimidos); Diazepam 5mg (8 comprimidos); Valium 10mg (4 comprimidos); Hermitartarato de Zolpidem 10 mg (2 comprimidos); Lexapro 10 mg (46 comprimidos); Lexapro 20mg (18 comprimidos); Cewin 500mg (13 comprimidos); Oxalato de escitalopram 20mg (29 comprimidos); Carbamazepina 200mg (10 comprimidos); Tylenol (04 comprimidos); Iboprufeno (07 comprimidos); 01 pomada Trafic e 01 receituário médico. Geddel, no entanto, recusou-se a ser submetido a perícia, por “determinação” de seu advogado. Indagado pela juíza, o perito do presídio afirmou “que o uso de todas as medicações apreendidas não é recomendado” e poderia causar a morte do ex-ministro.

‘Se não soltarem o Lula, o caos social vai aumentar’, diz presidente do PT

Share Button

O Globo

A presidente do PT, Gleisi Hoffman (PR) 07/06/2018 - Agência Senado

A presidente do PT, Gleisi Hoffman (PR) 07/06/2018 – Agência Senado

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman (PR) fez nesta quinta-feira, dia em que a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva completou dois meses, e véspera do lançamento oficial da sua pré-candidatura, um discurso inflamado na tribuna do Senado, exigindo que o Judiciário acate os recursos impetrados e solte o petista. Segundo a senadora, que teve apartes do senador Roberto Requião (MDB-PR) no mesmo sentido, se o Judiciário não soltar Lula, “o caos social vai aumentar”. “Se o Judiciário tivesse juízo, porque está vendo o problema que nós temos no Brasil hoje, liberaria o Lula imediatamente para fazer a disputa à Presidência da República, sem precisar nos constranger, sem precisar fazer com que Lula tenha que batalhar da prisão a sua candidatura. Liberaria!”, pediu Gleisi.

Caminhão de transporte de sofás é flagrado com 1,5 tonelada de maconha em fundo falso

Share Button

Por G1 MS

Tabletes de maconha estavam em fundo falso de caminhão baú em MS (Foto: PMR/Divulgação

Tabletes de maconha estavam em fundo falso de caminhão baú em MS | Foto: PMR/Divulgação

O motorista e o passageiro de um caminhão de transporte de sofás e cadeiras foram presos na tarde de quarta-feira (6), em Mato Grosso do Sul, quando tentavam levar 1.587 kg de maconha para a Bahia. De acordo com informações da Polícia Militar Rodoviária, o caminhão em que eles estavam, de placas de Caicó (RN), foi parado para fiscalização na MS-164, em Ponta Porã. Os suspeitos disseram aos policiais que tinham ido à fronteira vender cadeiras e sofá e voltavam para Paraíba com o veículo vazio. Os policiais desconfiaram da versão dos suspeitos, fizeram uma revista mais minuciosa e encontraram tabletes de maconha escondidos em fundo falso do caminhão. Conforme a polícia, o passageiro e o motorista confessaram que receberiam dinheiro para entregar a maconha em Salvador. O caso foi encaminhado à Polícia Federal (PF).

Santaluz: Del Led e Toke Love animam o ‘Forró dos Namorados’; festa é gratuita

Share Button
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

PM é morto em tentativa de assalto no RJ; mãe passa mal e morre após reconhecer o corpo

Share Button

Por Bom Dia Rio

Douglas Fontes estava passando pela Avenida Rio Branco, em Gramacho, quando foi cercado por criminosos armados que, após identificarem que ele era PM, o executaram | Foto: Reprodução/TV Globo

Foto: Reprodução/TV Globo

Um policial militar do 15º Batalhão (Duque de Caxias) foi morto por bandidos na madrugada desta quinta-feira (7). De acordo com testemunhas, Douglas Fontes estava passando pela Avenida Rio Branco, em Gramacho, com a namorada quando ele foi cercado por cinco criminosos armados que queriam levar o carro. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Militar, horas depois, a mãe dele, Maria José Fontes, de 56 anos, passou mal ao reconhecer o corpo do filho e morreu na UPA de Sarapuí, no mesmo município. Segundo informações da unidade hospitalar, Maria José sofreu um infarto e não resistiu, morrendo antes de chegar à unidade. De acordo com a polícia, Douglas foi morto depois que os criminosos descobriram que ele era policial. O PM foi obrigado a deitar no chão e foi executado. A namorada nada sofreu. Ele estava na PM há 12 anos. Era divorciado e deixa dois filhos, um de 8 e uma de 5. Douglas é o 54º policial morto no Estado do Rio de Janeiro em 2018. Na terça-feira (5), o subtenente da PM Edemilson de Oliveira, de 60 anos, foi morto em uma tentativa de assalto.

CCJ decide que preso deve custear gastos na prisão com recursos próprios ou trabalho

Share Button
Foto: Gláucio Dettmar / CNJ

Foto: Gláucio Dettmar / CNJ

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (6) projeto de lei que obriga os presos a ressarcir seus custos ao Estado. Caso o preso não tiver recursos próprios, terá de pagar com trabalho enquanto cumpre pena. Se nenhum senador apresentar recurso, o projeto segue direto para ser votado pela Câmara dos Deputados. Estima-se que o custo médio de um preso equivale a R$ 2,4 mil por mês. Autor do projeto, senador Waldemir Moka (MDB), avaliou ao jornal Estado de S.Paulo que a proposta “combate a ociosidade e evita que os presos sejam atraídos pelas facções criminosas que existem nos presídios”.

PF vê indícios de mesada de R$ 340 mil a Temer na década de 90

Share Button

Por Mariana Oliveira e Andréia Sadi

O presidente Michel Temer investigado em inquérito que apura edição de decreto em troca de propina | Foto: Alan Santos/PR

O presidente Michel Temer investigado em inquérito que apura edição de decreto em troca de propina | Foto: Alan Santos/PR

A Polícia Federal (PF) informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que vê indícios de pagamento de R$ 340 mil mensais ao presidente Michel Temer, no fim da década de 90, por parte de empresas da área portuária, entre elas a Rodrimar, cujos dirigentes são investigados junto com o presidente em inquérito que apura se houve edição de decreto em 2017 para beneficiar empresas em troca de propina. A informação consta no pedido de 69 páginas da PF, do dia 15 de março, para a Operação Skala, com buscas e depoimentos sobre o caso. O documento ainda está sob sigilo, mas foi obtido pelo blog da jornalista Andréia Sadi. A operação foi deflagrada em 29 de março último, com prisões de dois amigos de Temer para prestar esclarecimentos e apreensões de materiais nos endereços dele e das empresas portuárias. O delegado Cleyber Malta Lopes cita, no documento, uma planilha que integrava o inquérito 3105, que foi arquivado em 2011 pelo ministro Marco Aurélio Mello. Lopes afirmou que a planilha indica que “MT” recebia 50% dos valores referentes aos contratos e que “MA” e “L” tinham 25% cada. A tabela foi entregue à Justiça pela ex-mulher de Azeredo, que estava em processo de divisão de bens e queria comprovar que o marido tinha outras rendas. Em um item específico, “parcerias realizadas”, há indicação de repasse da Rodrimar de R$ 300 mil a Temer e R$ 150 mil para cada um dos outros – Azeredo e Lima. Há informação de adicional de R$ 200 mil para campanha. Outro repasse da JSL seria de R$ 26 mil por mês a Temer e R$ 13 mil aos outros. Além de valores de outras empresas, como a Multicargo. “Fazendo uma ligação com as informações trazidas, na planilha acima, na qual denota possível pagamento também pela Rodrimar de vantagem indevida para MT (possivelmente Michel Temer), em 1998, na ordem de R$ 340 mensais e ainda adicional de R$ 200 mil, textualmente indicado como sendo para campanha, não é difícil supor que tal relação promíscua entre empresários e agentes políticos se perpetue até os dias atuais”, disse o delegado. Em nota, o Palácio do Planalto diz que a investigação da PF “entrou no terreno da ficção policial” e que “a planilha já foi renegada pela pessoa que acabou, involuntariamente, anexando esse papel”. A PF analisa até o começo de julho todo o material coletado na Operação Skala para preparar relatório a respeito da investigação – o material será importante para a Procuradoria-Geral da República (PGR) definir se denuncia ou não Temer no caso dos portos.

Brasileira é presa com 8 kg de cocaína em fundo falso de mala no aeroporto de Salvador

Share Button
Foto: Divulgação/PF

Foto: Divulgação/PF

Uma mulher foi presa pela Polícia Federal no aeroporto internacional de Salvador enquanto tentava embarcar com oito quilos de cocaína pura em um voo para Madri, na Espanha, na noite desta terça-feira (5), por volta das 19h. De acordo com a PF, a mulher, que não teve a identidade divulgada, foi interceptada quando agentes inspecionavam as bagagens com o uso de aparelho de raio-x. Ainda de acordo com a PF, a droga, que estava escondida num fundo falso da mala da passageira, era proveniente de São Paulo e teria como destino final a cidade de Ibiza, na Espanha. A mulher foi presa em flagrante e conduzida à Superintendência Regional da Polícia Federal, onde foi autuada por tráfico internacional de drogas. Segundo a PF, ela será apresentada à Justiça Federal de Salvador, para a realização de audiência de custódia.

Notícias de Santaluz

Caçamba de lixo perde freio, atropela e mata gari no sul da Bahia; outros três ficam feridos

Share Button

Por G1 BA

Foto: Reprodução/Água Preta News

Foto: Reprodução/Água Preta News

Quatro garis foram atropelados e um deles, uma mulher, morreu em um acidente envolvendo uma caçamba coletora de lixo, na manhã desta terça-feira (5), na cidade de Itanhém, extremo sul da Bahia. Cerca de dez garis estavam sentados na calçada, quando o caminhão desceu de ré. Seis conseguiram correr e quatro foram atingidos. A gari Neuzeni Araújo de Sousa, de 45 anos, ficou com o corpo todo debaixo dos pneus traseiros e morreu. Os três garis feridos ficaram presos às ferragens e foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O resgate contou com ajuda da população e de uma retroescavadeira. As vítimas foram levadas para o Hospital Maria Moreira Lisboa. O estado de saúde dos garis não foi revelado. O corpo de Neuzeni foi removido pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT). A polícia não soube informar se o motorista também ficou ferido.

Exército irá ouvir candidatos sobre propostas ligadas à Defesa

Share Button

Por O Globo

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, participa de comissão do Senado - Ailton de Freitas/Agência O Globo/22-06-2017

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, participa de comissão do Senado – Ailton de Freitas/Agência O Globo/22-06-2017

O comando do Exército irá se reunir com os principais candidatos à Presidência para discutir temas ligados à Defesa. Um documento com propostas está sendo elaborado para ser apresentado aos políticos. O comandante do órgão, general Eduardo Villâs Boas, participará dos encontros. “Estamos produzindo um paper onde apresentaremos aos candidatos nossas características e necessidades, além de estimular a discussão sobre o tema Defesa no âmbito da sociedade”, explica um general ligado ao comando do Exército. A informação foi antecipada pelo jornal “O Estado de São Paulo”. Devem ser convidados para as conversas os candidatos Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Henrique Meirelles (MDB), entre outros. Entre os militares, há uma preocupação em garantir recursos para projetos em andamento, como a construção do primeiro submarino nuclear brasileiro e a conclusão da compra dos caças suecos Gripen. Outro projeto, a contrução de novas corvetas, foi afetado pelos cortes realizados pelo governo em diversos ministérios para garantir a redução do preço do diesel. O Ministério da Defesa perdeu R$ 500 milhões.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia