Share Button

Por O Globo

Foto: Isac Nóbrega/PR

Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta quinta-feira que seu filho, o senador Flávio Bolsonaro, está sendo perseguido pelo Ministério Público (MP) através das investigações que apuram possíveis irregularidades financeiras a partir de pistas apontadas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Para Bolsonaro, o objetivo das investigações e da quebra de sigilo é derrubá-lo. “Agora, estão fazendo esculacho em cima do meu filho. Querem me atingir? Venham para cima de mim! Querem quebrar meu sigilo, eu sei que tem que ter um fato, mas eu abro o meu sigilo. Não vão me pegar”, afirmou o presidente durante no último dia de agenda em Dallas, no Texas, para onde viajou na terça-feira. Em material apresentado à Justiça do Rio para pedir a quebra do sigilo de Flávio e de outras 94 pessoas, o MP apontou indícios da existência de uma “organização criminosa” no gabinete dele enquanto deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Além do MP, Bolsonaro estendeu as críticas à imprensa pela divulgação de informações que envolvem a investigação. “Mas grandes setores da mídia não estão satisfeitos com o meu governo. É governo de austeridade, de responsabilidade com o dinheiro público. É um governo que não vai mentir e não vai aceitar negociações, não vai aceitar conchavos para atender interesse de quem quer que seja. E ponto final.”