Share Button
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A defesa do ex-ministro Geddel Vieria Lima (MDB) entrou com pedido no Supremo Tribunal Federal para parcelar a multa de 1.590 salários mínimos imposta pela Corte no dia 22 de outubro do ano passado. Segundo a coluna Satélite, do jornal Correio, a multa, em valores atualizados, chega a aproximadamente R$ 1,6 milhão. Geddel foi condenado a 14 anos e 10 meses de prisão por lavagem de dinheiro no caso referente ao bunker de R$ 51 milhões descoberto pela operação Lava Jato em um apartamento no bairro da Graça em Salvador. A defesa solicitou o pagamento em 20 prestações, mas, ainda de acordo com a coluna Satélite, não menciona a pena em que Geddel foi condenado a pagar também R$ 52 milhões por danos morais coletivos. O relator do caso, ministro Edson Fachin, pediu que a Procuradoria-Geral da República se manifeste sobre o caso. O ministro condicionou a concessão do regime semiaberto para Geddel ao pagamento da multa e dos danos morais. O pedido de parcelamento foi feito, segundo a coluna, pelo advogado Roberto Podval, que não consta na relação de profissionais responsáveis pela defesa de Geddel no caso do bunker, mas é famoso por representar políticos e empresários implicados na Lava Jato e em casos de corrupção, como o ex-ministro petista José Dirceu e o governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.