Share Button
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Depois de se apresentar no município de Tucano, Ichu, São Domingos e Araci, a orquestra Sisaleira chega à Santaluz. O concerto ocorrerá no auditório do Sisal Clube a partir das 18 horas desta quarta-feira (19), durante o Sarau Social promovido pela Prefeitura. A prefeita Quitéria Carneiro e as secretárias Aline Cunha, da Assistência Social, e Maria Lucineide, da Educação, estarão presentes no evento.

A orquestra faz parte do projeto o “Som do Sisal”,  que é um laboratório de investigação técnica e sonora da cultura sisaleira criado em pleno sertão baiano, no município de Conceição do Coité.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Os instrumentos foram construídos nas oficinas de luteria das atividades do projeto Santo Antonio no Bairro Alto da Colina em Conceição do Coité.  Violões, rabecas, cavaquinhos, ukulelês e violinhas, todos com a madeira do sisal, compõem a inovadora e sustentável orquestra. Esses instrumentos que ganharam forma pelas mãos dos professores de Luteria Teo Nascimento e Webson Santana, também vêm recebendo um toque especial da pirografia artística do jovem Artur Ariston.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Tudo começou em 2012, quando o coordenador artístico da Orquestra Santo Antônio, Josevaldo Nim, convidou o estudante de luteria, Webson Santana, para construir instrumentos musicais com sisal, inspirados na violinha de Buriti que é encontrada no povoado de Mumbuca, Jalapão/TO.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O reaproveitamento dos resíduos da cadeia produtiva do sisal já é uma realidade no projeto O Som do Sisal, que agora tem um novo desafio de criar sua primeira orquestra. Para alcançar este objetivo estão acontecendo ações de cooperação, formação e intercâmbio cultural em dez municípios integrantes do território do Sisal. As oficinas de iniciação musical estão sendo ministradas nas cidades de Conceição do Coité, Retirolândia e Valente, e os espetáculos ocorrerão em outras sete cidades como Santaluz, Serrinha, São Domingos, Ichu, Tucano, Teofilândia e Araci. Esses municípios receberão ainda exposições fotográficas.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A criação da primeira orquestra com instrumentos de sisal faz parte dos novos desafios que o grupo Som do Sisal busca. A última ação foi a sua primeira turnê internacional, devolvendo o sisal ao México em forma de música patrocinado pelo Fundo de Cultura, a partir do edital de Mobilidade Artística. (veja aqui). O projeto recebeu prêmios de inovação e empreendedorismo (FAPESB 2015; LAUREATE BRASIL, 2016), e ganhou notoriedade através de reportagens nos programas Como Será? e Aprovado, na Rede Globo (veja aqui).

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Os concertos musicais estão sendo realizados em escolas, espações públicos e culturais com acesso gratuito para o público. O repertório musical é autoral e apresenta a cultura sisaleira nas composições, valorizando e difundindo a história do seu povo. Junto a realização de cada concerto, será montada uma exposição fotográfica que retrate a cultura, a paisagem e a vida do homem sisaleiro. O projeto Orquestra Sisaleira tem o apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura e das Secretarias da Fazenda e de Cultura da Bahia.

Notícias de Santaluz – com informações do projeto Som do Sisal