WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Home . Inicio




Faresi

rios

GUINCHO MM BANNERdrogaria_santana


Santaluz: SMT/GCM realiza blitz educativa no Centro da cidade (fotos)

Share Button

DSC_0619DSC_0617
DSC_0615 DSC_0613 DSC_0612 DSC_0610 DSC_0604DSC_0608

Cerqueira Tecidos

Share Button

cerqueira

Hexa Promoção: Dividimos tecidos em até 6 vezes em todos os cartões!

Artigos para cama, mesa e banho em até 6 vezes com preço de à vista ou em 10 vezes sem juros.

DSC02481

DSC02476

DSC02463

DSC02478

DSC02460 DSC02461 DSC02462

DSC02464 DSC02466 DSC02467 DSC02469 DSC02470 DSC02471 DSC02472 DSC02474
DSC02477

 

 

 

 

 

Santaluz: Coronel Martinho conta como passou a senha do sistema da Campanha do Desarmamento

Share Button

O coronel Martinho esteve no programa Acorda Cidade ao vivo nesta sexta-feira (29) para prestar esclarecimento à sociedade sobre a fraude na Campanha do Desarmamento, que está sendo investigada pela Polícia Federal.

Ele foi conduzido à delegacia na manhã de ontem (28) para prestar esclarecimentos e vai responder um processo por possuir uma arma sem documentação. A arma foi encontrada na casa dele, durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão.

O delegado da Polícia Federal, Val Goulart, informou que não foi encontrada durante as investigações nenhuma prova que o incrimine. Porém o coronel forneceu a senha, que é intransferível, para o coordenador nacional da ONG Movpaz Brasil, Clóves Nunes, e seu irmão, Carlos Nunes, ambos suspeitos de integrar uma suposta organização criminosa que de posse da senha lançava no sistema armas inexistentes ou de fabricação caseira, que não são indenizáveis.

A indenização, que varia de R$ 150 a R$ 400 reais, a depender do calibre, são válidas apenas para armas de fabricação industrial, entregues nos postos. No entanto, segundo o delegado, das 8.820 armas lançadas nos sistema apenas 400 eram indenizáveis.

 “Eu reconheço que falhei ao passar a senha. Não tem como negar. Não busquei rodeios, nem desculpas, porque eu não iria incriminar uma pessoa que não tem culpa, se fosse o caso, e dizer que foi ele que pegou a senha. Eu disponibilizei a senha, mas não para ele cometer o crime. O fato é que não existe participação minha nessa fraude, nem de forma intelectual nem operacional. Não existe prova na apuração e nem vai aparecer”, declarou o coronel afirmando que em seu depoimento na delegacia deixou claro que não tem envolvimento doloso na fraude.

Matinho disse que achou estranho o grande número de armas artesanais, mas afirmou que não foi informado de que para a entrega daquele tipo de arma não cabia pagamento de indenização. Ele contou como a polícia passou a fazer parte da campanha:

“A Casa da Paz, foi o primeiro posto de arrecadação de armas no Brasil. O Ministério da Justiça, acredito que no início de 2010, realizou uma investigação no país e constatou que algumas entidades estavam cometendo irregularidades com a campanha de desarmamento e resolveu caçar essa arrecadação de armas nos postos. Em seguida, convocou as polícias para que de uma forma geral, instalem postos de arrecadação em seus quartéis”, contou informando que a entrada da PM na campanha aconteceu após suspeitas de irregularidades.

– Todas as providências legais foram executadas e eu fiquei responsável pela senha que abria o sistema para fazer o lançamento de dados das entregas de armas. Mas quem fazia esses lançamentos era Carlos Nunes, e o irmão dele, Clóves Nunes. Eles já faziam na Casa da Paz, continuaram fazendo no batalhão, em meu gabinete, no computador do comandante. Carlos Nunes fazia os lançamentos e depois eu fechava o processo com a senha. Isso foi feito no período de um ano no por aí. De maio para junho, a campanha já havia ganhado corpo e o número de armas só aumentava. Foi aí que eu designei um policial para, em um horário mais folgado de seu trabalho, ajudar Carlos Nunes nesses lançamentos de dados, até que chegou um determinado momento em que nem sempre eu estava no gabinete para abrir e fechar e dar continuidade a operacionalidade do sistema. Foi aí que passei a minha senha ao policial. O tempo foi passando e um desses policiais, eram dois, entrou em gozo de férias, e Carlos Nunes já havia ganhado naquela altura uma certa confiabilidade e eu passei a senha.

Martinho disse que estava com muitas atribuições no Batalhão quando forneceu a senha e um tempo depois foi beneficiado com o afastamento por tempo de serviço. Ele saiu do batalhão e desde então perdeu o contato com Clóves Nunes e o irmão.

“Eu confiava nele (Carlos Nunes) plenamente porque eu  confiança em Clóves Nunes e a campanha estava indo bem. Eu estava cheio de atribuições, o batalhão era uma unidade de escola com três cursos em andamentos e várias formaturas. Eu facilitei inicialmente e depois disponibilizei minha senha, para Carlos Nunes, mas para ele fazer o processo normal, legal, honesto e que deveria ser feito. Em novembro de 2011 fui afastado oficialmente por tempo de serviço na cooperação e aguardei a transferência para a reserva que se deu em maio de 2012. Foi aí que perdi o contato com eles. Soube que ele tinha se mudado para Fortaleza e no dia de ontem, quase dois anos depois, fui surpreendido por essa fraude”, afirmou.

Ainda durante a entrevista o coronel disse que reconhece que foi negligente ao fornecer a senha.

Santaluz: Toma posse a juíza substituta Marcela Bastos Barbalho da Silva Nogueira

Share Button

DSC06211 DSC06214 DSC06219 DSC06221 DSC06223 DSC06224

Assassinatos de Homossexuais e Travestis é relançado na UFBA

Share Button

1017653_10152200370252296_1268571573_nA problemática das violências contra lésbicas, gays e travestis, sob a forma de assassinatos e com toda a complexidade que o tema comporta, foi objeto de investigação do Prof. Dr. Enézio de Deus Silva Júnior (no Mestrado em Direito de Família da UCSAL, 2010-2011) e se tornou o seu quinto e mais novo livro científico.

Natural de Retirolândia-BA, o autor baiano esteve ontem no PAF IV, Campus de Ondina/Salvador, da UFBA, palestrando sobre o assunto e relançando a obra, a convite do Bacharelado Interdisciplinar em Saúde da instituição. O evento contou com presenças de docentes da Universidade, discentes de diversos cursos, autoridades soteropolitanas e a imprensa.

1554495_10152200371842296_1451284776_nSegundo o Prof. Enézio, os chamados “homicídios homofóbicos ou transfóbicos” devem ser analisados com precisão e rigor científico, para que não se amplifique ou se fortaleça o discurso intencional e generalizado de que todo assassinato que vitima uma lésbica, gay ou travesti tem como causa preponderante/imediata o preconceito.

Assim, na contramão do que maior parte dos/as militantes afirma (que a homofobia ou a travestifobia constitui o motivo principal do número de mortes violentas de LGBTTTs), o escritor e pesquisador da área jurídica se fundamenta em revisão de literatura e, principalmente, em análises documentais e entrevistas com delegados/as, para concluir que maior parte destes crimes não tem como móvel imediato de motivação (única ou principal) os preconceitos e discriminações contra estas pessoas.

76293_10152200371012296_1008836568_n
Embora os livros do Prof. Enézio sejam publicados preponderantemente pela Editora Juruá (à qual está vinculado contratualmente desde 2005), este seu novo livro foi lançado no mercado sob a responsabilidade da Editora Instituto Memória, também sediada em Curitiba-PR.

1623626_10152200371917296_673557037_n

No YouTube, os interessados podem acessar diversos vídeos do Prof. Enézio discutindo/esclarecendo esta e outras temáticas – em meios de comunicação e eventos científicos. Assassinatos de Homossexuais e Travestis: Retratos da Violência Homo(trans)fóbica, assim como as demais obras do escritor retirolandense, podem ser adquiridas nas grandes redes (a exemplo da Saraiva e da Cultura), nas livrarias especializadas (a exemplo da Mídia Louca / Rio Vermelho, Salvador) e em diversos sites (a exemplo dos sites das próprias editoras: Juruá, Instituto Memória, Consulex e Revista dos Tribunais).

Redação Notícias de Santaluz

Entrevista sobre pedofilia – Isabella Viana (OAB-BA)

Share Button

BN: O QUE É PEDOFILIA?

Dra. Isabella: A pedofilia consiste numa perversão sexual, onde um indivíduo adulto ou adolescente se sente atraído sexualmente por crianças.

BN: POR QUE ADOLESCENTE?

Dra. Isabella: Porque segundo a OMS – ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE – os adolescentes que tem entre 16 e 17 anos podem ser considerados pedófilos se tiverem uma preferência sexual por crianças. Ainda, de acordo com a OMS, a pedofilia está entre os transtornos de preferência sexual e o pedófilo pode ser tanto o homem ou a mulher que tem preferencia sexual por crianças, meninos ou meninas, que ainda não atingiram a puberdade.

É importante deixar claro que a pedofilia por si só não caracteriza crime, tendo em vista que constitui uma perversão sexual. Porém o codigo penal tipifica como crime a relação sexual ou o ato libidinoso praticado por adulto com uma criança ou adolescente menor de 14 anos.

BN: ATÉ QUAL IDADE O SEXO ENTRE UM ADULTO E UM ADOLESCENTE PODE SER CONSIDERADO CRIME?

Dra. Isabella: Existem alguns critérios para que o sexo entre um adulto e um adolescente seja considerado crime. Por exemplo: se a pessoa possui mais de 16 anos de idade e é mais velha que a criança pelo menos 5 anos de idade. Este critério não se aplica a indivíduos com 14 anos de idade ou mais, envolvidos em um relacionamento amoroso (namoro) com um indivíduo entre 17 e 20 anos de idade ou mais, haja vista que nesta faixa etária sempre acontecem diversos relacionamentos entre adolescentes e adultos de idades diferentes. Namoro entre adolescentes e adultos não é considerado pedofilia por especialistas no assunto. Exemplo: O namoro entre uma adolescente de 14 anos e um jovem de 18 anos.

BN: QUEM É O PEDÓFILO?

Dra. Isabella: A maioria dos pedófilos são homens e o que mais facilita a atuação deles é a dificuldade que existe para identificá-lo. O pedófilo aparenta ser uma pessoa normal, aparenta ser uma pessoa comum, com a qual podemos conviver tranquilamente sem notar nada de diferente, de anormal. Geralmente o pedófilo tem atividade sexual com adulto e comportamento social que não gera nenhum tipo de desconfiança, pois o mesmo age de forma sedutora para ganhar a confiança e a amizade das crianças.

BN: JÁ QUE EXISTE DIFICULDADE PARA IDENTIFICAR O PEDÓFILO, COMO É POSSÍVEL IDENTIFICAR UM?

Dra. Isabella: Como falei anteriormente, existe uma dificuldade para identificar o pedófilo porque se trata de uma pessoa aparentemente normal e não possui caracteristicas fisicas que o diferencie de outras pessoas. O que o pedófilo possui, na verdade, são comportamentos que as crianças e adolescentes e/ou os pais dos mesmos devem tomar cuidado. E alguns desses comportamentos são:

– Gostam de ficar sozinhos com crianças ou adolescentes, sendo muito atenciosos e sedutores.

– Gostam de fazer “amizade” com criança/adolescente.

– Sempre procuram agradar sua vítima com presentes, elogios e promessas.

– Em suas casas possuem vários objetos, jogos, guloseimas para agradar crianças e adolescentes.

– Procuram fazer carinho nas partes íntimas de crianças e adolescentes.

– Sempre pedem para guardar segredo e nunca contar nada a ninguém sobre seus  comportamentos.

– Às vezes, ameaçam a criança/adolescente, algo ou alguém de que goste muito, caso não ceda às suas vontades.

– Pedem para filmar ou tirar fotos de criança/adolescente, com pouca ou nenhuma roupa e pedem para fazer poses sensuais.

O pedófilo pode ser uma pessoa bastante próxima: pode ser um familiar, um vizinho ou um conhecido e pode ser também alguém desconhecido que se vale da internet para se aproximar de crianças e adolescentes.

BN: DE QUAL FORMA O PEDÓFILO AGE?

Dra. Isabella: Normalmente os pedófilos costumam usar a internet para encontrar as vítimas. Eles criam um perfil falso nas redes sociais e nas salas de bate-papo e se valem de uma linguagem diferente para atrair as crianças e adolescentes. É por isso que é muito importante nunca divulgar dados pessoais na internet, tais como sobrenome, escola em que estuda, telefone, lugar onde mora, lugares onde frequenta porque essas informações podem cair nas mãos de pessoas erradas. E caindo nas mãos de um pedófilo, por exemplo, isso facilitaria bastante a ação dele.

BN: A PEDOFILIA PODE SER COMETIDA POR OUTROS MEUIOS QUE NÃO SEJAM SÓ O ABUSO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES?

Dra. Isabella: Sim, a pedofilia pode ser cometida através de outros meios que podem ser:

  • Por meio de exploração sexual: ocorre quando crianças e adolescentes são usados com intenção de obtenção de lucro ou qualquer outro benefício. Neste caso, as vitimas são coagidas por um aliciador ou delinquente sexual, que consegue atrair elas através de falsas promessas, suborno, sedução ou induzindo-as a se revoltarem contra os pais. O aliciador se aproveita da ingenuidade e da falta de maturidade para explorar crianças e adolescentes como se estes fossem mercadoria;
  • Por meio de pornografia infantil: que ocorre quando há produção, comercialização e exibição de fotos e vídeos das partes genitais ou de sexo explícito com crianças e adolescentes. A pornografia infantil também é exploração sexual porque ocorre uma comercialização, só que neste caso, não da criança e do adolescente em si, mas de fotos e videos de partes intimas;
  • Por meio de turismo sexual infantil: que ocorre quando há a inclusão de exploração sexual comercial de crianças e adolescentes nos pacotes para turistas nacionais e estrangeiros. A exploração neste caso acontece em bares, hoteis e clubes noturnos;

BN: DE QUE MANEIRA OCORRE O PRÓPRIO ABUSO SEXUAL DO PEDÓFILO CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES?

Dra. Isabella: O abuso sexual por se dar por duas formas, quais sejam:

  • O abuso intra-familiar que ocorre quando existe um laço familiar ou uma relação de responsabilidade entre a criança e o adolescente com o pedófilo. Neste caso, o abusador é uma pessoa que a própria criança ou adolescente confia, conhece e ama, que pode ser o pai, a mãe, um irmão ou irmã, um avô, um tio ou um primo, por exemplo.
  • O abuso extra-familiar que ocorre fora do âmbito familiar, podendo o abusador, por exemplo, ser um vizinho, um amigo da família, um professor ou um empregado da família.

BN: DE QUE FORMA A LEGISLAÇÃO BRASILEIRA PUNE O ABUSADOR SEXUAL?

Dra. Isabella: As leis brasileiras garantem a proteção contra o abuso e contra a exploração sexual e pune todo aquele que abusa sexualmente de uma criança e de um adolescente. A nossa Constituição Federal, em seu art. 227, § 4° traz um rol de direitos que a criança possui e diz que é dever do Estado, da sociedade e da família assegurar todos esses direitos elencados neste artigo e diz que a lei punirá severamente o abuso, a violência e a exploração sexual da criança e do adolescente.

No Estatuto da Criança e do Adolescente temos também uma série de direitos que toda criança e todo adolescente possui e temos também a tipificação dos crimes sexuais cometidos contra uma criança e um adolescente, com as consequentes penas para cada crime, sendo que a menor pena é de reclusão de 1 a 3 anos e multa.

No Código Penal, nós temos uma série de condutas tipificadas como crimes, quais sejam o estupro, o atentado violento ao pudor, a sedução, a corrupção de menores e a pornografia. Os crimes de estupro e de atentado violento ao pudor passaram a ser considerados crimes hediondos e tiveram as penas aumentadas com a edição da Lei 8.072, de 25 de julho de 1990, que é a lei que trata dos crimes hediondos. Os autores de crimes hediondos não têm direito a fiança, indulto ou diminuição de pena por bom comportamento.

BN: QUAL O TEMPO DE PRESCRIÇÃO PARA OS CRIMES DE ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL DE MENORES?

Dra. Isabella: Para esse tipo de crime, o tipo de contagem da prescrição é diferente. Antes da edição da Lei nº 12.650 de maio de 2012, o tempo para o agressor ser punido era contado a partir de quando o crime foi praticado. Porém, com a criação desta lei, a prescrição começa a ser contada a partir do momento em que a vitima completa 18 anos. Essa lei permite que seja dado mais tempo a criança ou adolescente que tenha sofrido o abuso sexual para que o mesmo possa ingressar com uma ação contra o agressor.

BN: QUANDO OCORRE O CRIME DE PEDOFILIA O QUE FAZER? ONDE BUSCAR AJUDA?

Dra. Isabella: Para denunciar por telefone, a pessoa deverá ligar para o numero 100, que é o Disque Denuncia Nacional, vinculado à Secretaria de Direitos Humanos do Ministério da Justiça. A ligação é gratuita e o serviço funciona diariamente das 8h às 22h, inclusive nos finais de semana e feriados. As denúncias recebidas são analisadas e encaminhadas aos órgãos de defesa e responsabilização, num prazo de 24h.

É possível também fazer a denuncia por e-mail, enviando uma mensagem para a Secretaria Especial dos Direitos Humanos no e-mail: disquedenuncia@sedh.gov.br.

Em ambos é possível:

• denunciar violências contra crianças e adolescentes;

• colher informações acerca do paradeiro de crianças e adolescentes desaparecidos, tráfico de crianças e adolescentes; e

• obter informações sobre os Conselhos Tutelares.

Em outros casos, a vítima que esteja sofrendo este tipo de crime, o seu responsável ou qualquer outra pessoa que tome conhecimento do acontecimento do crime de pedofilia deve denunciar o agressor para a polícia e/ou delegacia e também ao Ministério Público.

BN: DRA. ISABELLA DEIXE AS SUAS CONSIDERAÇÕES FINAIS

Dra. Isabella: Nós não podemos deixar que esse tipo de crime fique impune porque são cometidos contra pessoas que merecem nosso cuidado, a nossa proteção. A gente tem que pensar que a criança e o adolescente merecem ser tratados com respeito, afinal é dever do Estado, da sociedade, da família e da comunidade assegurar os direitos que a Constituição Federal e o Estatuto da Criança e do Adolescente garantem aos mesmos. A criança e o adolescente livre de todo tipo de negligência e de omissão por parte dos seus responsáveis, com certeza no futuro serão adultos que irão construirão um mundo cada dia melhor.

Isabella Viana

OAB – BA 39.845

(71) 9221-1364 / (75) 9179-5908 / (75) 8246-4799 

Santaluz: Projeto Swingar promove caminhada do Outubro Rosa (Fotos)

Share Button

65596_542513679160919_744406541_n 68106_542509859161301_1491502655_n 484768_542511215827832_1838477957_n 526468_542512589161028_1591506154_n 534274_542513799160907_715183894_n 541452_542512159161071_553034626_n 549526_542512075827746_1928906969_n 549560_542513245827629_787898247_n 553903_542511855827768_1019300668_n 564588_542514069160880_892997933_n 577468_542512092494411_276624027_n 579272_542512912494329_1946791968_n 580556_542512615827692_827565446_n 581786_542513735827580_1249716686_n 602008_542511159161171_875835552_n 602029_542513602494260_1321962375_n 603058_542511372494483_888600985_n 935139_542513642494256_1418221041_n 994055_542511545827799_2088346236_n 996033_542513505827603_262025145_n 1004657_542511149161172_140389983_n 1005370_542511705827783_1438208090_n 1012027_542514059160881_1365960162_n 1012700_542511815827772_1378750711_n 1013270_542513055827648_164332780_n 1374845_542511265827827_189743044_n 1376534_542511332494487_1040236826_n 1377101_542510052494615_512362436_n 1377365_542511002494520_715457750_n 1377418_542509965827957_298476970_n 1377479_542511512494469_950326083_n 1378058_542513459160941_872114129_n 1378124_542509962494624_732305311_n 1378497_542511022494518_1457610786_n 1378527_542512802494340_2044206326_n 1378620_542512992494321_295779539_n 1378784_542513939160893_544081866_n 1379493_542513759160911_769529133_n 1379840_542513349160952_1635364004_n 1379888_542511319161155_1931419195_n 1379929_542512702494350_925852593_n 1379941_542511629161124_785176900_n 1380531_542511899161097_129809292_n 1380626_542512005827753_206646204_n 1381661_542509849161302_1683998540_n 1383278_542511482494472_63352981_n 1383402_542512699161017_1271083097_n 1383424_542512195827734_2121404976_n 1383504_542509845827969_1188544708_n 1383545_542513889160898_1612272011_n 1383788_542511729161114_494040606_n 1383860_542513999160887_462664682_n 1384046_542512665827687_1988682864_n 1385495_542511949161092_374717367_n 1385637_542511682494452_2127332980_n 1385780_542512055827748_1800669012_n 1391495_542513495827604_1942138892_n 1391585_542512872494333_1209580279_n 1391933_542509959161291_1304287930_n 1393539_542511242494496_1913256789_n 1393604_542512389161048_118606119_n 1394467_542511605827793_1801590142_n 1395874_542513845827569_133570512_n 1395942_542511419161145_2089786203_n 1395990_542513039160983_1620305321_n 1422413_542511459161141_1376660662_n 1422501_542511015827852_629584593_n

Nete Móveis

Share Button

DSC01210

Nete Móveis em Santaluz: Praça Ulisses Guimarães, 67, Centro, em frente ao Centro de Abastecimento.

Tel.: (75) 3265-2869

DSC_0491

Nete Móveis em Nordestina: Rua Maria Flora, 66, Centro, onde funcionava a Cesta do Povo.

Tel.: (75) 3650-2295

Academia Corpo em Movimento – Seu corpo em constante mudança

Share Button

A Academia Corpo em Movimento fica localizada na Rua Arlindo Lopes Duarte – Centro – Santaluz (Em cima da Ascoob Itapicuru).

DSC_0473 DSC_0469 DSC_0464 DSC_0462 DSC_0460 DSC_0458 20160127120842 20160127120837 20160127120832 20160127120831 (1) 20160127120828

Gabarito das provas do priemeiro dia do Enem 2013, corrigido pelo Anglo Vestibulares (Todas as cores)

Share Button

1234

Santaluz: ASCOOB Itapicuru promove Jornada Cooperativista e anuncia implantação de agência no distrito de Pereira

Share Button

148234_808286275864229_393691095_n 155459_808283962531127_1504785974_n 155459_808283972531126_1662773488_n 1509145_808282822531241_1384565191_n 1509145_808282825864574_990560641_n 1509145_808282829197907_1800745016_n 1536543_808291922530331_1486204568_n 1536543_808291929196997_1774213874_n 1536543_808291935863663_936452159_n 1557550_808299185862938_1772874092_n 1619152_808297132529810_714579531_n 1619152_808297139196476_1454031519_n 1619152_808297142529809_1708237523_n 1779348_808293319196858_594192230_n

Fotos test drive Deon Motos

Share Button

DSC06193 DSC06194 DSC06195 DSC06196 DSC06197 DSC06198 DSC06199 DSC06200 DSC06201 DSC06203

Santaluz: Botafogo de Valente conquista o III Campeonato de Futebol Society da Arena Aliança (Fotos)

Share Button

DSC00655 DSC00656 DSC00657 DSC00658 DSC00659 DSC00660 DSC00661 DSC00663 DSC00664 DSC00666 DSC00667 DSC00669 DSC00670 DSC00671 DSC00673

(Fotos) Santaluz: Operação da Polícia Federal fecha garimpo ilegal e apreende equipamentos no povoado de Serra Branca

Share Button

534060_235738546590357_833768906_n 861877_476436199137097_1867883605_n 1374920_235736876590524_1067864475_n 1424405_235737053257173_1218563476_n 1441421_235737209923824_2025655904_n 1450778_235744263256452_63255300_n 1452106_235737863257092_623106595_n 1453461_235737323257146_152109639_n 1454595_235739723256906_1865152385_n 1454961_235741953256683_477870674_n 1455879_235736953257183_1476899019_n 1456928_476436185803765_863616319_n 1459206_235738209923724_1402816605_n 1462969_235737113257167_1146243940_n 1463631_235744623256416_817889354_n 1467239_235738033257075_108066938_n 1467413_235738389923706_1303192236_n 1471777_235736789923866_2015183165_n 1471983_235737396590472_978126031_n 1479265_235736453257233_1765908242_n



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia