WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Home . Inicio




Max_Bom Preço

Laboratório Checap

Império Store

Drogaria Santana

França proíbe uso da hidroxicloroquina para tratar a Covid-19

Share Button

Por G1

Foto: Reprodução/JN

Foto: Reprodução/JN

O governo da França proibiu nesta quarta-feira (27) oficialmente o uso da hidroxicloroquina para tratar a Covid-19 nos hospitais. A decisão foi tomada depois que duas entidades responsáveis pela saúde pública no país se declararam contrários à utilização da substância. Desde o fim de março a hidroxicloroquina, derivado da cloroquina (medicamento de combate à malária) era utilizada, de maneira excepcional, nos hospitais franceses para tratar casos graves do novo coronavírus. O uso em testes clínicos continua autorizado. “Seja em consultas ou no hospital, esta molécula não deve ser prescrita para pacientes afetados pela Covid-19”, afirmou o ministério da Saúde, após a publicação do decreto de proibição no Diário Oficial. O governo francês decidiu proibir a hidroxicloroquina depois que o Alto Conselho de Saúde Pública desaconselhou seu uso na terça-feira (26), com exceção dos ensaios clínicos, segundo a agência France Presse. A recomendação vai no mesmo sentido de uma recomendação da Agência Nacional de Segurança de Medicamentos e Produtos de Saúde (ANSM). A hidroxicloroquina, receitada geralmente para doenças autoimunes como o lúpus, é um dos medicamentos utilizados em testes clínicos desde o início da pandemia no planeta. Porém, um amplo estudo publicado publicado na semana passada pela renomada revista médica “The Lancet” destacou a ineficácia da hidroxicloroquina e a cloroquina no tratamento da Covid-19. O estudo com 96 mil pacientes indicou que, além de não favorecer a recuperação dos infectados, as substâncias provocam um risco maior de morte e de desenvolvimento de arritmia cardíaca.

‘Se o baiano quer curtir festa, tem um preço a pagar: a morte’, diz virologista que identificou o Zika

Share Button

Por G1 BA

Foto: Imagens / TV Bahia

Foto: Imagens / TV Bahia

Para o virologista Gúbio Soares, pesquisador responsável por identificar o Zika Vírus no país, as pessoas só poderão voltar a se aglomerar na Bahia em 2021.

Soares acredita que o coronavírus permanecerá ativo na população pelos próximos dois ou três anos, por isso o baiano precisará repensar o seu modo de vida, isso inclui a realização de festas de grande porte, a exemplo do carnaval.

“Não pode ter nenhuma festa com aglomerações – réveillon, festa de largo, shows. Isso tem que ser evitado e só pode acontecer em 2021, depois de uma avaliação de como estará a pandemia. Não deve ter carnaval, principalmente, porque será um desastre total. O vírus está circulando e vai continuar circulando, as pessoas vão estar infectadas e vão transmitir em qualquer aglomeração”, afirmou.

Mas não é preciso ir tão longe. Não serão apenas festas como Lavagem do Bonfim, carnaval ou réveillon que deverão ser evitadas. De acordo com Gúbio Soares, passou de dez pessoas, já é aglomeração.

“Mais de dez pessoas já é aglomeração. Se você pegar dez pessoas e colocar no mesmo ambiente, já é aglomeração para o vírus. O vírus só necessita que uma pessoa esteja infectada para transmitir para outras pessoas em qualquer tipo de aglomeração”, disse.

“É o momento de a gente reavaliar as nossas posições em nossas vidas, no sentido de festas. Temos que evitar de qualquer maneira aglomeração, porque isso vai levar a um novo pico, a uma nova pandemia impressionante no Brasil, com muito mais mortes do que a atual”.

Foto: Imagens / TV Bahia

Foto: Imagens / TV Bahia

Professor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Soares identificou o Zika Vírus em 2015, junto à pesquisadora Silvia Sardi.

A Bahia já totaliza, de acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), mais de 14 mil casos da Covid-19 e se aproxima de 500 mortes.

É esperado pelas autoridades municipal e estadual, para o mês de junho, um aumento no número de casos, avaliação compartilhada por Gúbio Soares, que acredita que o número de mortes vai dobrar no estado.

“Eu acredito que o número de mortes na Bahia vai dobrar e que o número de casos vai aumentar significativamente, porque a própria população não respeita a recomendação de ficar em casa”, disse.

Em entrevista ao jornal Correio* no dia 29 de fevereiro, quando a Bahia ainda não havia casos registrados de coronavírus, o virologista afirmou que havia sido criado um pânico exagerado em relação ao vírus, porque ele não teria capacidade de se propagar devido ao calor de Salvador.

Hoje, ele assume que fez uma avaliação equivocada.

“Havia um erro, porque a gente não pensava que o vírus se adaptasse tão bem à temperatura. Sendo um vírus que aconteceu em um período bastante frio na China, a gente acreditava que ele não se proliferasse aqui. Mas isso foi um pensamento errado, que a gente reavalia hoje que o vírus se adaptou muito bem ao clima e continua se adaptando. Ele não vai desaparecer de Salvador por causa do calor”, afirma.

Bandidos armados invadem casas, rendem moradores e fazem arrastão em distrito de Queimadas

Share Button
Foto: Notícias de Santaluz

Foto: Notícias de Santaluz

Homens armados e encapuzados fizeram um arrastão no Riacho da Onça, distrito do município de Queimadas, região sisaleira da Bahia, na noite desta terça-feira (26). Ninguém ficou ferido. De acordo com relatos de populares, cerca de seis criminosos chegaram ao local em três motocicletas, invadiram cinco casas e renderam os moradores. Somente em um dos imóveis, os bandidos teriam roubado cerca de R$ 12 mil em espécie,  segundo uma das vítimas, que prefere que não se identificar. Pertences pessoais e aparelhos celulares também foram levados pelos ladrões, que fugiram em seguida. Com o apoio da Polícia Militar de Santaluz, equipes da Guarda Civil Municipal e da PM de Queimadas fizeram buscas pela região, mas ninguém foi preso. As vítimas foram orientadas a registrar queixa na Delegacia de Polícia Civil de Queimadas.

Notícias de Santaluz

Jovem de 20 anos é 10º caso confirmado de Covid-19 em Santaluz

Share Button
Foto: Reprodução/Pixabay

Foto: Reprodução/Pixabay

Foi confirmado na noite desta terça-feira, 26 de maio, a 10ª pessoa positivada para Covid-19 em Santaluz. O novo caso é filha de uma funcionária da enfermeira que trabalha no setor administrativo da Secretaria Municipal de Saúde. A funcionária, que é doméstica da enfermeira, e todos os familiares dela passaram por testagem rápida, dia 19 de Maio (quando a enfermeira testou positivo, porém, todos os demais deram negativo e se mantiveram em isolamento domiciliar. Obedecendo a norma técnica do Ministério da Saúde, após 07 dias, todos passaram por uma nova testagem, e apenas a jovem, de 20 anos, positivou. No novo boletim a cidade descartou mais 01 caso e registrou mais 05 suspeitos.

Por Departamento de Comunicação da Prefeitura de Santaluz

Nº de casos confirmados de coronavírus sobe para 49 em Valente; nº de curas chega a 5

Share Button
Foto: Reprodução/Pixabay

Foto: Reprodução/Pixabay

O número de pessoas que testaram positivo para o novo coronavírus subiu para 49 em Valente, na região sisaleira da Bahia. Foi registrado um aumento de 8 casos confirmados com relação ao último boletim, segundo informou a secretaria de Saúde do município na noite desta terça-feira (26). De acordo com a pasta, 22 pacientes testaram positivo em exames feitos pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Estado (Lacen), e 27 pelo teste rápido. Deste total, 39 estão em isolamento domiciliar, quatro estão internados, cinco estão curados [a 5ª cura foi anunciada nesta terça-feira] e há uma morte. Para tentar frear a disseminação do coronavírus, a prefeitura da cidade determinou, desde o dia 15 de maio, medidas radicais como fechamento total do comércio e toque de recolher. Desde então, 33 novos casos foram confirmados, representando um aumento de 206%.

Notícias de Santaluz

Mais 2 pessoas estão curadas da Covid-19 e mais 2 casos são descartados em Santaluz

Share Button
Foto: Reprodução/Pixabay

Foto: Reprodução/Pixabay

Nesta terça-feira (26), mais dois casos de cura da Covid-19 e duas suspeitas descartadas foram anunciadas pela secretaria de Saúde de Santaluz, na região sisaleira da Bahia. Segundo a pasta, foram liberados do isolamento domiciliar dois caminhoneiros, um de 50 anos e o outro de 39 anos, que testaram positivo para a doença após retornarem de viagem aos estados de São Paulo e Pernambuco. Agora o município soma 3 pacientes recuperados. Além das curas e dos casos descartados, um caso suspeito foi computado nesta terça-feira. Até o momento, nove diagnósticos positivos para o novo coronavírus foram confirmados em Santaluz. Ao todo, 39 casos foram descartados e dez estão sendo investigados.

Notícias de Santaluz

Prefeitura de Teofilândia antecipa férias escolares de janeiro de 2021 para junho

Share Button

Por TV Subaé

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Com o crescimento do número de casos de Covid-19, a prefeitura de Teofilândia, na região sisaleira da Bahia, decidiu antecipar as férias escolares do mês de janeiro de 2021 para junho deste ano. A medida foi tomada porque ainda não é possível retomar as aulas no próximo mês. As férias acontecerão do dia 1º a 30 de junho. De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia na noite desta segunda-feira (25), foram registrados cinco casos de Covid-19 em Teofilândia.

OMS suspende testes com hidroxicloroquina contra a Covid-19

Share Button

Por G1

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A Organização Mundial de Saúde (OMS) suspendeu nesta segunda-feira (25) o uso da hidroxicloroquina em pesquisas que ela coordenava com cientistas de 100 países. A suspensão temporária foi tomada até que a segurança da droga seja reavaliada, já que estudos recentes mostraram que ela não é eficaz contra a Covid-19 e pode aumentar a taxa de mortalidade. A OMS diz que estão mantidos os demais testes dentro da iniciativa internacional batizada de “Solidariedade”. Além do medicamento agora vetado, os pesquisadores ainda avaliam em pacientes o resultados de três tipos de antivirais e de um remédio usado para tratar esclerose múltipla. O diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que a suspensão foi determinada depois da divulgação dos resultados do estudo publicado na sexta-feira (22) na revista científica “The Lancet”. A pesquisa, feita com 96 mil pessoas, apontou que não houve eficácia das substâncias contra a Covid-19 e detectou risco de arritmia cardíaca nos pacientes que as utilizaram. A OMS já havia anunciado que era contra o uso amplo da cloroquina para tratar a Covid-19. Quando o Brasil passou a orientar que pacientes com quadros leves pudessem usar o medicamento, os diretores da entidade ressaltaram que a droga só deveria ser usada dentro de “ensaios clínicos”, que são os testes dentro de pesquisas médicas. “Os autores reportaram que, entre pacientes com Covid-19 usando a droga, sozinha ou com um macrolídeo [classe de antibióticos da qual a azitromicina faz parte], estimaram uma maior taxa de mortalidade”, afirmou Tedros.

MEC suspende pagamento de parcelas do Fies devido à pandemia do coronavírus

Share Button

Por Bahia Notícias

Foto: Reprodução site Fies

Foto: Reprodução site Fies

O Ministério da Educação (MEC) publicou, nesta segunda-feira (25), uma resolução com as diretrizes para que beneficiários do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) possam suspender pagamento de parcelas enquanto durar o estado de calamidade pública, aprovado em função do enfrentamento ao novo coronavírus. O prazo aprovado pelo Parlamento brasileiro vai até 31 de dezembro de 2020.

De acordo com a portaria, poderão ser suspensas até duas parcelas para os estudantes com contratos em fase de utilização ou carência. Para os contratos em fase de amortização, poderão ser suspensas até quatro parcelas.

A resolução define ainda que não serão cobrados juros ou multa por atraso de pagamento sobre as parcelas suspensas. Os valores serão incorporados ao saldo devedor do contrato do estudante, nos termos e condições contratados.

O estudante interessado em suspender as parcelas deverá fazer o pedido perante o agente financeiro do Fies – Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil -, por meio dos canais de atendimento que serão disponibilizados pelos bancos para essa finalidade.

Financiados pelo P-Fies (Programa de Financiamento Estudantil), operado por bancos privados, não terão parcelas suspensas por essa medida.

A suspensão estará disponível apenas para contratos que estavam em dia antes da vigência do decreto de calamidade pública, decretado em 20 de março.

Santaluz descarta mais 4 suspeitas de Covid-19 e confirma 9º caso

Share Button
Foto: Reprodução/Pixabay

Foto: Reprodução/Pixabay

Na manhã desta segunda-feira, 25 de Maio, a Secretaria Municipal de Saúde de Santaluz recebeu a atualização do índice local de coronavírus, através do LACEN, que é o laboratório referência no estado. Na nova atualização, a cidade descartou mais 04 casos suspeitos e confirmou o 9º caso para COVID-19. A nova confirmação trata-se de uma funcionária da saúde, que trabalhava diretamente com a enfermeira de 34 anos no setor administrativo da Secretaria Municipal de Saúde, também infectada. Tendo 52 anos, a mulher encontra-se estável com sintomas leves e foi a única testada positiva no setor de trabalho, já que outras pessoas tiveram o mesmo contato que ela, mas negativaram através dos testes. A paciente está em isolamento domiciliar desde 15 de Maio, quando apresentou os primeiros sintomas. Com isso, Santaluz passa a ter 9 confirmados (dentre eles, um curado), 37 descartados e agora 11 suspeitos, já que além dos 04 que ficaram, a secretaria notificou mais 7 casos nesta segunda-feira.

Por Departamento de Comunicação da Prefeitura de Santanluz

Agências dos Correios pagarão auxílio emergencial a partir de junho

Share Button

Por Bahia Notícias

Foto: Divulgação / Correios

Foto: Divulgação / Correios

A partir do mês de junho, além das agências da Caixa Econômica Federal, as dos Correios serão opções para que a população possa receber o auxílio emergencial pago pelo governo federal, por causa da pandemia do novo coronavírus. Em nota oficial, os Correios informaram que o início do pagamento aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais, mães solteiras, autônomos e desempregados acontece em junho nas agências postais, mas não confirmaram uma data específica. “As agências estão, nesse momento, em processo de adaptação dos sistemas para realização do serviço”, diz o comunicado. “A data de início do atendimento, as formas de acesso da população e demais procedimentos serão amplamente divulgados pelos canais oficiais da empresa”, acrescentou.

Medicamento antiviral melhora tempo de recuperação de pacientes com Covid-19, diz estudo

Share Button

Por G1

Foto: Ulrich Perrey / Pool / AFP

Foto: Ulrich Perrey / Pool / AFP

Um estudo publicado na sexta-feira (22) pelo ‘The New England Journal of Medicine’ afirma que o medicamento antiviral experimental Remdesivir melhora o tempo de recuperação de pacientes de Covid-19 hospitalizados e com infecção do trato respiratório inferior.

O estudo, patrocinado pelo Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas (NIAID) dos EUA, envolveu 1.063 pacientes em 10 países, durante um período de 58 países, que consentiram em participar dos testes recebendo o medicamento ou um placebo.

Os resultados apontam que, entre os que se recuperaram, aqueles que tomaram Remdesivir o fizeram em um prazo médio de 11 dias, comparados com os 15 dias necessários para os que receberam placebo.

Os pacientes foram acompanhados diariamente durante o tratamento, usando uma escala com oito pontos, que variava da recuperação total à morte. Foram considerados recuperados aqueles que tiveram alta hospitalar ou foram avaliados pelos médicos como estando em condições físicas de deixar o hospital.

Houve também uma taxa de mortalidade menor entre o grupo que recebeu o Remdesivir, mas os pesquisadores afirmam que ela não é estatisticamente significativa. Em um prazo de 14 dias, foi de 7,1% entre os que tomaram a droga, contra 11,9% entre os que não tomaram.

O estudo apoia o uso do medicamento como terapia padrão para pacientes hospitalizados com Covid-19 e que necessitam de oxigenoterapia suplementar, de acordo com os autores. No entanto, ressalta que essa taxa de mortalidade de 7,1% em 14 dias indica uma necessidade de avaliar a associação a antivirais como outros agentes terapêuticos.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia