Ao anunciar plano de R$ 136 bilhões para financiamento da safra agrícola 2013/2014, com juros de 5,5% ao ano para a tomada de empréstimos, presidente pisa outra vez no acelerador do crescimento; Dilma desafiou trabalhadores rurais a usarem recursos de maneira produtiva e adiantou ainda benefícios para o pagamento de dívidas por agricultores do semiárido e garantiu que o compromisso de seu governo com a região é “irrestrito”.


“Gastem e terão mais”, aconselhou a presidente Dilma Rousseff nesta terça-feira 4, ao anunciar o Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2013/14, em Brasília. Neste ano, o plano alcançou seu maior volume financeiro, chegando a R$ 136 bilhões, com valores divididos em R$ 97,6 bilhões para financiamentos de custeio e comercialização, e R$ 38,4 bilhões para os programas de investimento. Em relação ao crédito disponibilizado no último plano, o aumento foi de 18%.
A presidente afirmou que o compromisso de seu governo com a população do semiárido é “irrestrito” e declarou considerar a seca uma “situação grave”. “Cabe-nos agir para minimizar seus impactos”, afirmou. Dilma adiantou, do plano que será anunciado para a região, na próxima quinta-feira, benefícios para o pagamento de dívidas de produtores rurais, como o desconto de 85% para composições adquiridas em 2006 e renegociações. (Blog do Senado)