Share Button
Foto: Carolina Antunes/PR

Foto: Carolina Antunes/PR

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a defender o direito legítimo de defesa pessoal do cidadão, ao comentar o decreto de porte de armas assinado na última semana. “Eu, por exemplo, como homem, tenho que defender a minha mulher. Sei que se um homem entrar na minha casa, é para barbarizar, então é para meter chumbo mesmo”, afirmou, em entrevista à rádio Bandeirantes. “Se alguém entrar na sua casa, tem que descarregar nele”, aconselhou. Bolsonaro ainda voltou a argumentar que, em referendo em 2005, a maioria da população disse que era a favor do comércio de armas, mas que não foi atendida pelo governo.