Share Button

Por G1 PE e TV Globo

Foto: Reprodução/TV Globo

Foto: Reprodução/TV Globo

Uma professora de matemática devolveu à prefeitura de Chã Grande, no Agreste de Pernambuco, mais de R$ 70 mil depositados equivocadamente na conta bancária dela. O exemplo de honestidade veio de Silvânia Silva, de 37 anos, apenas 15 dias depois que ela trocou de profissão, ao assumir o cargo de auxiliar de serviços gerais no município.

Silvânia era contratada temporária na Secretaria de Educação de Chã Grande, até abril. Com a proximidade do fim do contrato, ela decidiu fazer um concurso público na cidade para buscar estabilidade.

Com 15 dias de empossada na prefeitura, Silvânia, que mora em Gravatá, foi ao banco para tentar descobrir o porquê de o cartão, com o qual ela receberia o salário, ainda não tinha chegado. No local, ela pediu ao gerente para ver o saldo na conta e teve a surpresa: R$ 70.368,86, pagos, teoricamente, pelos 15 dias que ela passou na prefeitura. Era o equivalente a 5 anos e meio de trabalho, de uma só vez.

O dinheiro, no entanto, não demorou na conta de Silvânia. Segundo ela, sequer passou pela cabeça ficar com o valor, que, ela sabia, não era dela. “Na hora, eu liguei para uma amiga, que perguntou o que eu faria. Respondi que ia devolver e ela disse que não esperava outro gesto meu. Não tinha como eu ficar com esse dinheiro, porque eu não trabalhei, aquilo que não era meu, não iria servir para mim”, afirmou.

Essa não foi a primeira vez que Silvânia deu uma lição de honestidade. Quando era estudante, ela encontrou R$ 250 em frente a uma agência bancária e foi até a casa da dona para devolver.

Filha de agricultores, Silvânia diz que a honestidade é o valor mais importante a ser passado ao filho Guilherme. “Muita gente já me criticou, me xingou, disseram até que eu devia levar uma ‘pisa’ [surra]. Meus pais me ensinaram a não querer aquilo que não é meu e dessa vez não seria diferente”, afirmou.