Share Button

Por G1 Minas

Foto: Danilo Girundi/TV Globo

Foto: Danilo Girundi/TV Globo

A Vale informou, nesta quinta-feira (15), que identificou duas trincas no material remanescente da barragem B1, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A estrutura se rompeu em janeiro de 2019, deixando 259 mortos e 11 desaparecidos. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fato não impactou nas buscas pelos desaparecidos. “Em decorrência disso foi estabelecido um perímetro de segurança no qual as equipes que estavam atuando mais perto da barragem B1 foram remanejadas para outras frentes”, disse o porta-voz da corporação, o tenente Pedro Aihara. A mineradora afirmou ainda que as atividades foram paralisadas no local, preventivamente, em uma distância entre 2 e 3 km da barragem depois que as trincas foram identificadas em uma inspeção de rotina. Segundo a Vale, a ação foi alinhada com a auditoria do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e comunicada aos órgãos competentes. “A empresa reforça que a medida é preventiva e que não há necessidade de evacuação dos moradores das comunidades vizinhas, uma vez que essas áreas permanecem em segurança”, diz a nota.