WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Home . Inicio




Laboratório Checap

Adrivana Cunha - Hospital de Olhos

Império Store

Drogaria Santana

:: ‘Destaque2’

Fachin vota para suspender concurso da Polícia Federal marcado para o próximo domingo

Share Button

Foto: Nelson Jr./STF

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou nesta sexta-feira (21) pela suspensão do concurso da Polícia Federal, que tem provas marcadas para o próximo domingo (23). Fachin é o relator da ação que questiona a realização dos exames “mesmo com os inúmeros decretos restritivos dos Estados e Municípios, bem como os altos índices de contágios, infecções e mortes pela COVID-19 em todo o país”. A demanda foi apresentada por advogados de uma candidata de Pernambuco. Segundo o G1, a defesa da candidata argumenta que realizar a prova em meio à pandemia viola decisões tomadas pela Corte no ano passado, que reconheceram a autonomia de estados e municípios para tomar medidas para evitar o contágio pelo coronavírus. O julgamento do caso no plenário virtual ocorrerá ao longo desta sexta-feira. O concurso da PF vai preencher vagas para os cargos de delegado, agente, escrivão e papiloscopista.

Procuradoria acusa sete profissionais de saúde de homicídio com dolo eventual por morte de Maradona

Share Button

Por Redação do ge e agências de notícias

Foto: infoesporte

A Procuradoria-Geral de San Isidro, que investiga a morte de Diego Armando Maradona, acusou formalmente sete pessoas de homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar.

Segundo a agência de notícias “EFE”, os acusados já foram notificados para serem interrogados a partir de 31 de maio e foram proibidos de deixar o país. Anteriormente a acusação era de homicídio culposo, cuja pena varia de um a cinco anos de prisão. Agora, com a nova acusação, a pena varia de oito a 25 anos de reclusão.

Os acusados são o neurocirurgião Leopoldo Luque, a psiquiatra Agustina Cosachov, o psicólogo Carlos Díaz, os enfermeiros Dahiana Madrid e Ricardo Almiron, o chefe dos enfermeiros Mariano Perroni, e Nancy Forlini, responsável pela equipa médica que tratou de Maradona nos últimos dias de vida.

Leopoldo Luque, médico pessoal de Maradona e responsável por uma cirurgia no cérebro do ex-jogador semanas antes da morte ocorrida em 25 de novembro de 2020, também será interrogado por suposto uso de documento privado adulterado.

O ídolo argentino morreu no dia 25 de novembro, aos 60 anos, sozinho em sua cama em uma casa alugada em um bairro privado ao norte de Buenos Aires, onde se recuperava após uma operação de um hematoma na cabeça, e onde ele supostamente estava com internação domiciliar.

Maradona foi operado de um hematoma na cabeça no dia 3 de novembro. Pouco antes, em 30 de outubro, ele compareceu à comemoração de seu 60º aniversário com a saúde debilitada no estádio do Gimnasia y Esgrima, clube que comandava.

Naquele dia em La Plata, 60 km ao sul de Buenos Aires, foi a última vez que ele apareceu em um público aclamado por milhões de fãs em todo o mundo.

Testemunhas afirmam que ele sofria de dependência de álcool e psicotrópicos. Após sua aposentadoria, ele esteve várias vezes à beira da morte devido a doenças cardíacas e uso de drogas.

Morador de Pé de Serra é preso transportando cocaína dentro de painel de carro em Feira de Santana

Share Button

Drogas estava escondida dentro do painel frontal do veículo | Foto: Reprodução/PRF

Um homem de 31 anos foi preso após ser flagrado transportando 14,4 Kg de cocaína em Feira de Santana, na noite desta quarta-feira (19). De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), uma equipe realizava fiscalização em frente ao posto da corporação, na BR-116, quando abordou um carro modelo Cobalt, que era conduzido pelo homem, e achou a droga escondida dentro do painel frontal do veículo. O motorista, que é morador de Pé de Serra (BA), na região de Riachão do Jacuípe, foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil. Após ser autuado em flagrante, ele ficou preso à disposição da Justiça.

Notícias de Santaluz

Ministro do Meio Ambiente é alvo de operação que investiga exportação ilegal de madeira; presidente do Ibama é afastado do cargo

Share Button

Por G1 DF e TV Globo

Ministro do STF Alexandre de Moraes determinou quebra de sigilos bancário e fiscal do ministro do Meio Ambiente | Foto: Marcos Corrêa/PR

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Eduardo Bim, são alvos de uma operação, nesta quarta-feira (19), que investiga a exportação ilegal de madeira para Estados Unidos e Europa.

A operação foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que também determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal de Salles, o afastamento preventivo de Bim do comando do Ibama e o de outros nove agentes públicos que ocupavam cargos e funções de confiança nos órgãos. São eles: Leopoldo Penteado, Vagner Tadeu Matiota, Olimpio Ferreira Magalhães, João Pessoa Riograndense Moreira jr, Rafael Freire de Macedo, Leslie Nelson Jardim Tavares, André Heleno Azevedo Silveira, Arthur Valinoto Bastos e Olivaldi Alves Azevedo Borges.

As investigações iniciaram em janeiro, segundo a Polícia Federal, a partir de informações “obtidas de autoridades estrangeiras” que noticiavam um “possível desvio de conduta de servidores públicos brasileiros no processo de exportação de madeira”.

Na operação, Alexandre de Moraes determinou ainda a suspensão imediata da aplicação de um despacho emitido em fevereiro de 2020, que permitiu a exportação de produtos florestais sem a necessidade de emissão de autorizações de exportação.

“Estima-se que o referido despacho, elaborado a pedido de empresas que tiveram cargas não licenciadas apreendidas nos EUA e Europa, resultou na regularização de mais de 8 mil cargas de madeira exportadas ilegalmente entre os anos de 2019 e 2020”, informou a PF.

Ao todo, 160 policiais federais cumprem 35 mandados no Distrito Federal, no Pará e em São Paulo, incluindo endereços residenciais do ministro Salles em São Paulo, no imóvel funcional em Brasília e no gabinete da pasta de Meio Ambiente no Pará.

‘Jamais promovi nenhum atrito com a China’, diz ex-ministro das Relações Exteriores na CPI da Covid

Share Button

Por G1

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo afirmou na CPI da Covid nesta terça-feira (18) que jamais promoveu nenhum “atrito” com a China.

O ex-ministro foi questionado pelo relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), se a postura do governo brasileiro em relação à China tem prejudicado obtenção de vacinas e insumos para os imunizantes.

“Jamais promovi nenhum atrito com a China, seja antes seja durante pandemia, de modo que o resultado que obtivemos na consecução de vacinas e outros aspectos decorre de uma politica externa de acordo com nossos objetivos, mas não era de alinhamento aos Estados Unidos nem de enfrentamos com a China”, afirmou Araújo.
Este é o sétimo dia de depoimentos na CPI. A comissão apura ações e omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia de Covid e eventual desvio de verbas federais enviadas a estados e municípios.

Na condição de testemunha, como é o caso de Ernesto, o depoente se compromete a dizer a verdade, sob o risco de incorrer no crime de falso testemunho.

O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM), acusou o ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo de mentir no depoimento à comissão

Aziz interrompeu as perguntas que o relator fazia para Ernesto. O presidente quis alertar o ex-ministro que ele deveria falar somente a verdade na CPI. Para Aziz, Ernesto se desviou desse propósito quando disse que não promoveu nenhum atrito com a China.

“Na minha análise pessoal, vossa excelência está faltando com a verdade. Eu peço a vossa excelência que não faça isso”, disse Aziz.

MC Kevin morre após cair do 5º andar de hotel no Rio

Share Button

Por G1

Foto: Reprodução/Instagram

O funkeiro Kevin Nascimento Bueno, de 23 anos, conhecido como MC Kevin, morreu na noite deste domingo (16) depois de cair do 5º andar de um hotel na orla da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. A informação foi confirmada em nota pela Secretaria de Saúde do Rio.

O Corpo de Bombeiros disse ter sido acionado às 18h13 para a ocorrência da queda. MC Kevin foi levado pelos bombeiros em estado muito grave ao hospital Miguel Couto, na Gávea, na Zona Sul.

A Polícia Civil informou que a 16ª delegacia está investigando o caso.

Até este domingo, pouco antes da morte, o artista tinha 8,6 milhões de seguidores no Instagram. Na madrugada de sábado (16) para domingo, ele postou um vídeo em seus stories:

“E aí, família, suave, como que vocês estão? Estou aqui na Barra, partiu show”, disse o cantor.

Há duas semanas, MC Kevin casou com a advogada Deolane Bezerra em uma praia do México. Eles estavam juntos no último show que o MC fez neste sábado (15). Após a notícia da morte, Deolane fez uma postagem em homenagem ao marido.

“Você é e sempre será o amor da minha vida o amor mais lindo que tive, o homem que mais me amou e me admirou ! Vai com Deus meu menino eu sempre vou te amar !!!”

Ministério estuda campanha de testagem da população para Covid-19, diz Queiroga

Share Button

Por Bahia Notícias

Teste rápido é considerado uma estratégia importante no controle da pandemia | Foto: Freepik

O Ministério da Saúde analisa a possibilidade de fazer uma ampla campanha de testagem da população brasileira para o novo coronavírus. A informação foi dada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, neste domingo (16).

O ministro também falou sobre a paralisação da produção de vacinas contra o coronavírus pelo Instituto Butantan pela falta do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA). Queiroga ressaltou que a carência da matéria-prima é mundial. “É importante passar uma mensagem positiva para a sociedade brasileira, e não essa cantilena de que está faltando [IFA]. O Brasil precisa de tranquilidade para superarmos juntos essa dificuldade sanitária”, disse.

Ainda sobre a dificuldade na aquisição de vacinas, o ministro lembrou que o Brasil faz parte do acordo Covax Facility, que alocou US$ 150 milhões para garantir a cobertura vacinal de 10% da sua população. “A prova dessa dificuldade de doses é que mesmo a OMS [Organização Mundial da Saúde] tem dificuldade de entregar as doses que se comprometeu conosco e nem por isso nós ficamos criticando a OMS”, disse Queiroga.

O ministro acrescentou que o Brasil tem um trabalho diuturno para ter mais vacinas. Ele disse que, nesse sentido, o país é o quinto que mais distribui doses. “O Brasil está indo bem na campanha de vacinação. Poderia ir melhor? Claro que sim, se tivéssemos mais doses”, ressaltou.

STF recebe ação que pede afastamento de Bolsonaro por ‘incapacidade civil’ para o cargo

Share Button

Bolsonaro se atrapalha com máscara em entrevista | Foto: Adriano Machado/Reuters

Um grupo de sete pessoas, entre elas o ex-ministro Renato Janine Ribeiro, o escritor Roberto Romano e o advogado Alberto Toron, protocolou uma ação no STF em que pede a Luiz Fux que afaste Jair Bolsonaro do cargo de presidente por “incapacidade civil.” No pedido, que tem 78 páginas, alega-se que Bolsonaro demonstrou “inaptidão para a gestão da saúde e de outras áreas necessárias ao enfrentamento da pandemia em curso de modo minimamente adequado e eficiente, nos termos do que prevê a Constituição”. Segundo o blog do jornalista Lauro Jardim, o grupo também pede que sejam produzidas provas periciais para avaliação da capacidade de Bolsonaro exercer o cargo. E sugerem que a perícia seja “realizada do modo mais exaustivo possível por equipe composta por especialistas com formação multidisciplinar, que indicarão, no laudo, especificadamente, se for o caso, os atos para os quais haverá necessidade de afastamento”.

Menor nível de chuvas em 91 anos obriga governo a preparar plano para evitar falta de energia

Share Button

Por G1

Foto: Freepik

O governo federal criou uma sala de crise e deu início à discussão de um plano de ações para preservar água nos reservatórios das principais hidrelétricas e, com isso, evitar o risco de escassez de energia.

O motivo da mobilização do governo é a situação dos reservatórios de hidrelétricas do Sudeste e Centro-Oeste, que respondem por mais da metade da capacidade de geração do país.

O armazenamento de água nesses reservatórios atualmente é o menor para essa época desde 2015 e bem próximo do registrado em 2001, quando o país passou por um racionamento de energia.

Essa situação é resultado da falta de chuvas nas duas regiões nos últimos meses. De acordo com o governo, o volume de chuva registrado desde outubro é o menor dos últimos 91 anos.

O governo já ampliou nos últimos meses a geração de energia por termelétricas, usinas que funcionam a partir da queima de combustíveis como óleo ou gás natural.

Essa medida permite reduzir a geração hidrelétrica e, consequentemente, poupar água dos reservatórios. Entretanto, a energia termelétrica é mais cara, e o aumento do uso já se reflete nas tarifas das contas de luz

“Nós estamos já numa sala de situação com a participação de órgãos do governo, da ANA e Ibama, fazendo avaliação de como que a gente pode trabalhar para ter uma disponibilidade hídrica suficiente para a gente enfrentar esse período seco”, disse ao G1 a secretária-executiva do Ministério de Minas e Energia, Marisete Pereira.

Diretor da Pfizer diz à CPI da Covid que governo brasileiro não aceitou oferta que previa 1,5 milhão de doses da vacina ainda em 2020

Share Button

Por Folha de S.Paulo

O gerente-geral da Pfizer na América Latina, Carlos Murillo, fala à CPI da Covid | Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O gerente-geral da Pfizer na América Latina, Carlos Murillo, afirmou que a empresa fez ao menos cinco ofertas de doses de vacinas contra a Covid-19 em 2020 que não foram fechadas.

Segundo Murilo, as negociações começaram em maio e, em agosto, foi feita a primeira oferta ao Brasil, com dois quantitativos disponíveis: 30 milhões e 70 milhões de doses.

Depois, o laboratório fez mais duas ofertas, em 18 de agosto e 26 de agosto. Nesta última também foram ofertadas 30 e 70 milhões de doses para entrega parcelada até o final de dezembro de 2021, mas o governo brasileiro ignorou a proposta.

“Proposta de 26 de agosto tinha validade de 15 dias. Passados 15 dias, governo não rejeitou e nem aceitou a oferta”.

As duas ofertas previam que ao menos 1,5 milhão de doses chegariam ao Brasil em dezembro de 2020.

Como a oferta foi ignorada, segundo Murillo, em novembro as negociações foram retomadas com mais duas propostas. Desta vez, só estava na mesa a possibilidade de compra de 70 milhões de doses e não havia mais a chance de alguma vacina da Pfizer chegar ainda em 2020.

Em 2021, a Pfizer voltou a fazer nova oferta em 15 de fevereiro deste ano. A proposta era de compra de 100 milhões de doses. Mais uma vez, o governo não fechou o acordo.

Em 8 de março deste ano, segundo Murilo, foi feita nova oferta, semelhante à de fevereiro. O acordo foi para a entrega de 100 milhões de doses, sendo 14 milhões no segundo trimestre de 2021 e mais 86 milhões no terceiro trimestre.

Murillo disse que só ficou confiante com o fechamento do acordo para o fornecimento da vacina com o governo brasileiro no dia 19 de março deste ano, quando o contrato foi assinado



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia