Com informações da Agência Brasil
20131001103707_fome

Foto: Divulgação

Cerca de 805 milhões de pessoas no mundo, uma em cada nove, sofrem de fome crônica, segundo o relatório “O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo (Sofi 2014, na sigla em inglês)”, divulgado nesta terça-feira (16), em Roma, na Itália, pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

O estudo confirmou tendência positiva observada nos últimos anos de redução da desnutrição mundialmente: o número de pessoas subnutridas diminuiu em mais de 100 milhões na última década e em mais de 200 milhões desde o período1990-1992. 

A instituição espera que os dados orientem o debate sobre a contribuição das políticas públicas de agricultura Familiar para a segurança alimentar e combate à fome no Brasil. A ONU declarou, em 2014, como o Ano Internacional da Agricultura Familiar, com intuito de promover ampla discussão e cooperação mundial sobre os desafios dos trabalhadores rurais. O setor produz a maior parte dos alimentos consumidos pela população e contribui para a erradicação da fome.

Até o momento, 63 países em desenvolvimento alcançaram o objetivo, entre eles o Brasil, e outros seis estão a caminho de consegui-lo até 2015. O documento incluiu este ano sete estudos de casos, entre eles o Brasil. De acordo com o levantamento, o Programa Fome Zero, que colocou a segurança alimentar no centro da agenda política, foi o que possibilitou o país a atingir este ODM. O estudo também destaca os programas de erradicação da extrema pobreza, a agricultura familiar e as redes de proteção social como medidas de inclusão social no Brasil.