Correio24horas
mstcerta-455bff2685

O grupo com 6 mil pessoas chegou ao CAB – destino final – por volta das 9h30 | Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO

Os integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) da Bahia realizou na manhã desta terça-feira (17) a marcha pela capital baiana. Eles começaram a caminhada às 6h30, pela rodovia BR-324, ocupando duas faixas. As seis mil pessoas que participam da marcha estavam acampados nas margens da rodovia desde ontem. De acordo com a Transalvador, a marcha seguiu pela Avenida ACM, Iguatemi e Avenida Paralela, até chegar ao Centro Administrativo da Bahia (CAB), onde fazem a entrega da pauta de reivindicações à Governadoria do Estado. A Transalvador montou uma operação especial para acompanhar a marcha, mas a caminhada interferiu no trânsito em vários pontos na capital baiana como Pirajá, Barros Reis, Rótula do Abacaxi, Avenida Bonocô, Ligação Iguatemi-Paralela (LIP) e Avenida ACM. Apesar do MST chegar ao CAB, o trânsito continuou com lento na Avenida Paralela, no sentido aeroporto. Em caminhada desde a última segunda-feira (9), a marcha foi iniciada em Feira de Santana. O ato quer chamar a atenção do Poder Público para a violência no campo, o avanço do agronegócio na região e a necessidade de reforma agrária. De acordo com a coordenação do MST na Bahia, os manifestantes já passaram pelos municípios de Simões Filho, Amélia Rodrigues e Candeias. A previsão é que eles percorram mais de 100 quilômetros ao chegarem à capital baiana ainda hoje.

Reivindicações – A marcha faz parte das ações relacionada à Jornada Nacional de Lutas pela Reforma Agrária, iniciada na semana passada. Segundo o MST na Bahia e a articulação dos movimentos sociais de Feira de Santana, a caminhada também tem como objetivo denunciar a falta de atenção das autoridades municipais com a estruturação do Centro de Referência e da Casa Abrigo de Feira de Santana, a redução do orçamento referente à agricultura familiar e reivindica a construção de creches pelo Programa Brasil Carinhoso.