Foto: Caio Guatelli/Folhapress

A defesa do ex-tesoureiro do PL (atual PR), Jacinto Lamas, apresentou nesta terça-feira (21) uma petição para parcelar o pagamento da multa de R$ 370 mil em 180 vezes, o que corresponde a 15 anos. De acordo com o advogado Délio Lins e Silva, o longo prazo se justifica porque Lamas não tem recursos suficientes para pagar a multa – parte da pena recebida durante a AP 470 – e não tem nenhum bem. “A única fonte de renda da família vem dele”, explicou. Caberá ao juiz da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal aceitar o pedido ou encaminhá-lo para a Procuradoria da Fazenda. Caso a Justiça aceite o parcelamento, o ex-tesoureiro deverá pagar cerca de R$ 2 mil por mês, com o valor reajustado ao longo dos anos.  Lamas cumpre cinco anos de prisão em regime aberto. Além de ser aposentado pela Câmara dos Deputados, ele trabalhará como assistente administrativo na empresa Mísula Engenharia, em Brasília, e receberá R$ 1,2 mil de salário. Informações da Folha de S. Paulo.