Notícias ao Minuto
naom_57b2038444f44

Foto: © Getty – Laurence Griffiths

O Brasil faturou sete medalhas nos Jogos Olímpicos Rio 2016 até agora. A última foi a de prata obtida pelo ginasta Arthur Zanetti, nas argolas, nesta segunda-feira (15). De todas as conquistas, apenas uma não não veio de um atleta militar: a prata do ginasta Diego Hypólito. Tirando Diego, os demais medalhistas brasileiros têm vínculo com as Forças Armadas com a patente de terceiro sargento. Rafael Silva, bronze no judô, Poliana Okimoto, bronze na maratona aquática, e Felipe Wu, prata no tiro esportivo, são do Exército. Rafaela Silva, ouro no judô, e Mayra Aguiar, bronze na mesma modalidade que a primeira, são da Marinha. Já Arthur Nory, ginasta que conquistou um bronze no domingo (14), e Zanetti são da Aeronáutica. Os atletas militares fazem parte do Programa de Alto Rendimento das Forças Armadas. Eles possuem os mesmos direitos salariais que os demais militares na ativa. A remuneração líquida de um terceiro sargento é de aproximadamente R$ 3,2 mil por mês, segundo o Globo. Os militares olímpicos do Brasil, que são 145 no total, correspondem a um terço de toda a delegação do país na Rio-2016, formada por 465 atletas.