DSC_1293

Foto: Notícias de Santaluz

Policiais militares de Santaluz e de diversos municípios da região sisaleira se reuniram com o deputado estadual Soldado Prisco (PSDB) na manhã desta sexta-feira (9). O encontro aconteceu no auditório Lindaura Carneiro de Araújo (Cenos) e contou com a participação de representantes da sociedade civil. O parlamentar estava acompanhado do dirigente regional da Associação dos Policiais e Bombeiros Militares e dos seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra/Serrinha), soldado PM Rubem Ramos e de outros representantes da entidade.

Inicialmente, Prisco agradeceu aos militares pelos 282 votos obtidos em Santaluz, município que lhe conferiu a segunda maior votação em toda a região nas eleições do ano passado. O militar foi o terceiro deputado estadual mais votado em todo o estado, com 108.041 votos obtidos em 416 municípios baianos. “Santaluz é um lugar especial, por isso decidi que seria a primeira cidade que eu visitaria na região”, disse o parlamentar, que à noite participou de reunião em Serrinha.

DSC_1304

Foto: Notícias de Santaluz

Durante o encontro, Prisco prestou conta dos primeiros meses de seu mandato e discutiu com os policiais assuntos de interesse da categoria como a regulamentação do artigo 92 do Estatuto dos Policiais Militares do Estado da Bahia, ciclo completo, auxílio transporte e fim das punições disciplinares de privação de liberdade. Após a reunião, Prisco visitou as instalações da 5ª Companhia da Polícia Militar, sediada em Santaluz. “Parabenizamos o comandante da 5ª Cia PM/Santaluz pela boa estrutura e organização do quartel sede da corporação, que conta com homens e mulheres comprometidos com a segurança dos cidadãos de Santaluz. Infelizmente detectamos algumas carências, como a necessidade do aumento de efetivo e ampliação da frota de viaturas, mas isso é um problema geral e que cabe ao Estado resolver”, avaliou.

Vale lembrar que até pouco tempo atrás Prisco cumpria medidas de restrições impostas a ele por ter liderado a última greve dos policiais militares da Bahia, ocorrida em abril de 2014, época em que chegou a ser preso. Depois da revogação da prisão, em maio do ano passado, pela Justiça Federal da Bahia, ele continuou como réu e aguardou o julgamento do pedido de Habeas Corpus do STF. Entre as medidas estavam a proibição de deixar Salvador, de integrar ou participar de qualquer associação, de ingressar em quartéis e estabelecimentos militares, além de desempenhar integralmente as funções de deputado estadual. “A angústia foi grande, mas graças a Deus agora posso sair para agradecer os votos que recebi e dar sequencia a minha batalha por uma segurança pública de qualidade”, disse Prisco ao comentar a situação.

Redação Notícias de Santaluz