xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.GS-fQc2FZa

Foto: Laycer Tomaz / Câmara dos Deputados

A Justiça do Rio de Janeiro deslocou à Justiça Federal a competência de julgar o processo que investiga desvio de R$ 32 milhões em obras da Petrobras, para dois centros de pesquisas da estatal na capital fluminense. De acordo com Época, as fraudes aconteceram entre 2005 e 2010, quando José Sérgio Gabrielli presidia a estatal. Os contratos sob suspeita foram firmados entre a Petrobras e a construtora Andrade Gutierrez e, segundo os promotores, houve sobrepreço e superfaturamento. Em janeiro deste ano, a pedido dos promotores, a Justiça do Rio de Janeiro autorizou a quebra dos sigilos fiscal e bancário de Gabrielli, de sete ex-diretores da Petrobras e da construtora.