G1 PR
duque

Duque voltou a ser preso nesta segunda-feira (16) | Foto: GloboNews

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou 27 pessoas por corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, entre elas, o tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT) João Vaccari Neto e o ex-diretor de Serviço da Petrobras Renato de Souza Duque. Esta é a primeira denúncia contra os dois referente à Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF). A informação foi divulgada pelo MPF na tarde desta segunda-feira (16), dia em que a 10ª fase da Operação Lava Jato foi deflagrada. O doleiro Alberto Youssef, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e o engenheiro Pedro José Barusco Filho, que era gerente-executivo de Serviços e Engenharia da Petrobras e braço direito do diretor da área Renato Duque, também foram denunciados. A Operação Lava Jato começou em março de 2014 e investiga um esquema bilionário de lavagem de dinheiro. Quinze denunciados são de empreiteiras, cinco são operadores, quatro são ligados aos operadores, dois ex-diretores da Petrobras e um ex-gerente. De acordo com a denúncia, Vaccari participava de reuniões com Duque para tratar de pagamentos de propina, que era paga por meio de doações oficiais ao PT. Dessa maneira, os valores chegavam como doação lícita, mas eram oriundas de propina. O MPF aponta que foram 24 doações em 18 meses, no valor de R$ 4,260 milhões. O tesoureiro do PT indicava em que contas deveriam ser depositados os recursos de propina, segundo o MPF. “Vaccari tinha consciência de que os pagamentos eram feitos a título de propina”, afirmou o procurador do MPF Deltan Dallagnol durante entrevista coletiva nesta tarde, em Curitiba. Além de Dallagnol, participam da coletiva o procurador do MPF Roberson Henrique Pozzobon, o delegado da Polícia Federal Igor Romário de Paula e Roberto Leonel, da Receita Federal. Nesta 10ª fase da Operação Lava Jato, o ex-diretor de Serviço da Petrobras Renato de Souza Duque foi preso novamente. Ele é suspeito de participar do esquema de corrupção, desvio e lavagem de dinheiro dentro da estatal.