Folha de S. Paulo
1609240

O ex-secretário-nacional do Partido dos Trabalhadores Silvio Pereira é alvo de prisão temporária | Foto: Luiz Carlos Murauskas – 08.jun.2005/Folhapress

O ex-secretário petista Silvio Pereira, alvo da 27ª fase da Operação Lava Jato nesta sexta-feira (1º), recebeu pagamentos das empreiteiras OAS e UTC, que somam R$ 500 mil, na conta bancária de uma de suas empresas. Silvio Pereira foi um dos mais importantes quadros da direção nacional do PT, tendo deixado o comando da legenda após o escândalo do mensalão, em 2005. Ficou famoso na ocasião por ter recebido uma Land Rover de presente de uma empreiteira, a GDK. Segundo a Lava Jato, há suspeitas que o presente era propina relacionada à Petrobras. As informações foram obtidas pelo Ministério Público Federal na quebra de sigilo das empresas e apresentadas ao juiz federal Sergio Moro para pedir a prisão preventiva de Silvinho – Moro só deferiu a temporária. Segundo a Procuradoria, os pagamentos eram uma “mesada” para Silvinho não delatar possíveis fatos ilícitos que tivesse conhecimento envolvendo o PT. “É provável que tais pagamentos se refiram à ‘mesada’ que o PT destinou a Silvio Pereira por intermédio de desvios em contratos que a UTC e a OAS mantinham com a Petrobras”, escreveram os procuradores da força-tarefa da Lava Jato. Para eles, “ao que tudo indica”, os pagamentos ocorreram sem a correspondente prestação de serviço.