001

Foto: Divulgação

Uma reunião realizada em Brasília pela bancada do Partido Progressista (PP) na Câmara, semana passada, selou a indicação do deputado federal Cacá Leão para o comando do Ministério da Integração Nacional, dentro da cota do partido no alto escalão do governo Dilma Rousseff, segundo informou a coluna Satélite, do Correio. De acordo com fontes da cúpula da sigla, a nomeação de Cacá, filho do vice-governador João Leão, já foi acertada com o Palácio do Planalto e ocorrerá após a Semana Santa, quando expira a licença médica do atual chefe da pasta, Gilberto Occhi, que vai deixar definitivamente o cargo para tratar um câncer na próstata. As especulações em torno da ida de Cacá para a Esplanada dos Ministério começaram a pipocar na imprensa há duas semanas, mas só ganharam força diante da necessidade de afastamento prolongado de Occhi. Mesmo com as implicações do pai na Operação Lava Jato, Cacá foi um dos poucos parlamentares do PP fora da lista dos delatores do esquema de corrupção na Petrobras. Contudo, um cacique da sigla diz que nada garante a nomeação do baiano. “Em política, tudo pode mudar a qualquer hora. Principalmente, porque ninguém sabe se esse governo se segura”, disse.