imagem_materia

Ministro da Fazenda, Joaquim Levy, não descartou a criação de imposto para promover o reequilíbrio das contas públicas | Foto: Reprodução

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, não descartou a criação de imposto no esforço de promover o reequilíbrio das contas públicas, durante audiência nesta terça-feira (31) na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE). Perto do fim de uma reunião de mais de sete horas, em que Levy foi inquirido por 26 senadores, Lasier Martins (PDT-RS) perguntou se o ministro poderia assegurar que não criaria impostos. “Seria inadequado dizer: Jamais trarei [ao Congresso] um imposto novo”, respondeu o ministro. De acordo com informações da Agência Senado, Levy disse que o governo precisa de liberdade para adotar as ações necessárias, mas que tudo será feito com “muita parcimônia”. Antes de criar impostos, acrescentou, é preciso “acertar os que estão por aí” e corrigir desequilíbrios, entre eles, a desoneração de folhas de pagamento — a redução do benefício concedido às empresas é prevista em projeto de lei em tramitação na Câmara dos Deputados (PL 863/2015). O ministro afirmou ainda que, brevemente, será divulgado uma análise dos efeitos das desonerações adotadas pelo governo no conjunto de medidas anticíclicas para enfrentar a crise financeira.