xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.LocrWqxChR

Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

Eliseu Padilha não é mais ministro da Aviação Civil. O peemedebista sinalizou sua saída do governo no final da semana passada, mas só oficializou a decisão nesta segunda-feira (7), após audiência com o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner. O anúncio vem após a Câmara dos Deputados aceitar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) de autoria dos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior. Na mesma ocasião, uma indicação feita por ele para a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) foi retirada pelo Palácio do Planalto. De acordo com a Folha de S. Paulo, Padilha garantiu manter “relacionamento respeitoso com a presidente Dilma”, mas a partir de agora estará trabalhando na presidência do PMDB. Na tentativa de impedir a abertura do processo de impeachment, o governo pretende oferecer à bancada do PMDB na Câmara o comando da pasta deixada por Padilha. O ex-ministro da Aviação Civil é considerado um dos principais aliados do vice-presidente Michel Temer (PMDB), que ainda não se pronunciou nem sobre a saída de Padilha nem sobre o acolhimento do pedido de impeachment.