Lucio

Foto: Divulgação

O PMDB da Bahia iniciou articulações, junto a outros dez diretórios estaduais, para tentar emparedar a ala governista do partido na sua convenção nacional, marcada para 12 de março, véspera das manifestações pró-impeachment. Segundo a coluna Satélite, do Correio, Um dos líderes da dissidência peemedebista, o deputado federal Lúcio Vieira Lima se movimenta para submeter as propostas de rompimento com o governo e de entrega dos cargos que a legenda tem no Palácio do Planalto à votação durante o encontro. “Ainda não sabemos qual será o melhor caminho: se apresentamos moções por meio da direção dos estados ou se elas serão protocoladas individualmente, através dos deputados federais ou senadores. Só sei que esse processo está avançando”, afirmou. Lúcio calcula que, hoje, grande parte do PMDB se posicionaria a favor do fim da aliança com o PT. “Uma parcela ainda prefere não mostrar o posicionamento contrário ao governo, mas vem crescendo, e muito, o grupo dos que querem expor o desejo de romper”, acrescentou Lúcio. A partir de hoje, adiantou o parlamentar, haverá forte pressão para que a queda de braço seja resolvida no voto.