Com informações do Estadão
5a9oiwa74u_9dhks1hbmu_file

Policiais cumprem mandados da operação Lava Jato | Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo

A Polícia Federal acionou a Interpol para tentar localizar irmão do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte. Adarico Negromonte Filho é acusado de formação de quadrilha e corrupção ativa. A PF fez buscas no apartamento de Adarico em São Paulo nesta sexta-feira, 14, no âmbito da sétima fase da Operação Lava Jato. O irmão do ex-ministro era subordinado ao doleiro Alberto Youssef, um dos operadores do esquema de corrupção na Petrobras e lavagem de dinheiro que teria movimentado R$ 10 bilhões. Seu irmão comandou a pasta das Cidades no governo Dilma Rousseff. O juiz Sérgio Moro, da Justiça do Paraná, determinou a prisão temporária (cinco dias) de Adarico Negromonte. Segundo investigadores, contudo, há dois meses, ele não é localizado.

Um agente da Polícia Federal também está entre os presos pela PF nesta sexta. Ele e Adarico Negromonte seriam “mulas” do esquema de lavagem de dinheiro do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa. A prisão é temporária.

Negromonte foi citado em um grupo de pessoas que era responsável pelo transporte do dinheiro e pelos saques em espécie para pagamento das propinas. Eles também atuavam como uma Espécie de delivery de dólares, segundo a Procuradoria da República.

“Esses valores em espécie eram transportados pelo denunciado, em voos domésticos, ocultados no corpo ou em alguma valise, pela utilização de aviões particulares ou, ainda, valendo-se de veículos blindados, de transporte de valores”, informam os investigadores da Lava Jato.