Bahia Notícias
xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.PNIRcjt7dK

Prefeito João Filho | Foto: Reprodução/TV Globo

O caso de corrupção no município de Itaberaba, na região do Piemonte do Paraguaçu, foi destaque nacional neste domingo (22). O fato em que o ex-secretário de administração do município, Alberto Magno, acusa o prefeito, João Filho (PP), de desviar cerca de R$ 1 milhão mensais dos cofres públicos foi destaque no programa Fantástico, da Rede Globo. Na matéria, Magno reforça as acusações e diz que a família dele vive sob constante medo por conta da denúncia. O ex-secretário também lembrou o rompimento com o prefeito depois de ter tomado conhecimento das irregularidades, quando recebeu uma ligação de um fornecedor que informou que já tinha repassado bens à prefeitura, que por sua vez teriam sido furtados pelo prefeito. Na reportagem, é informado também da utilização de uma cooperativa para desviar dinheiro da saúde. Segundo uma funcionária da Coope (cooperativa citada), a gestão, de João Filho chegava a desviar cerca de R$200 mil mensais, que eram divididos entre a vice-prefeita, Maria José Novais, ex-secretária de saúde, e Marigilda Mascarenhas, irmã e secretária de governo do prefeito. Questionado pela reportagem, o prefeito negou as acusações e classificou as denúncias como “manobra política”. As investigações continuam sendo feitas pelo Ministério Público Federal e o Estadual, além da Polícia Federal. O Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus) analisa os contratos da prefeitura com a cooperativa, é já constatou irregularidades. O Denasus já pediu a devolução de R$ 373 mil aos cofres da saúde. Já o MPF, solicitou a reposição de R$ 229 mil. Ainda segundo a reportagem, outras investigações do Ministério Público apontam fraudes em licitações do transporte escolar.