procissaofogareu

Ponto alto da programação é a Procissão do Fogaréu | Foto: Rita Barreto/Reprodução

No período de 29 deste mês a 5 de abril, o município de Serrinha, na região sisaleira, vivencia as celebrações da Semana Santa, uma das tradições religiosas mais fortes do interior baiano e que impulsionam o turismo religioso no estado. Além de missas, procissões, caminhadas e via-sacra, shows e teatro mobilizam moradores e visitantes. O ponto alto da programação é a Procissão do Fogaréu, uma das mais belas manifestações de fé, que está salvaguardada pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) como Patrimônio Histórico Imaterial da Bahia. Realizada desde 1930, a procissão acontece na quinta-feira (2), quando as ruas da cidade ficam iluminadas por tochas de papel, acesas com velas, que são carregadas pelos participantes.  As pessoas se reúnem, a partir das 20h, em frente à Paróquia Nossa Senhora Santana (Igreja Catedral), na Praça Miguel Carneiro. Aos poucos, tomam as ruas, formando um tapete luminoso, que segue em direção à Colina da Santa, onde está a imagem da Senhora Santana, padroeira da cidade. Ao longo do percurso e no final, são encenados passos da Paixão de Cristo. 

Subida ao Monte Guarani – Outro ponto marcante das celebrações é a subida ao Monte Guarani para a Via-sacra, às 6h da Sexta-feira Santa (3), mas o percurso íngreme é feito por muitos ainda na madrugada. No alto, de onde se vê toda a cidade, está o Cruzeiro. Lá, os fiéis acendem velas e fazem oração. Tem ainda a Procissão do Encontro, no Domingo de Páscoa, quando as mulheres saem da Câmara de Vereadores e os homens, do Cemitério Paroquial, para se encontrarem na Catedral, onde acontece missa às 9h. A estimativa da Secretaria do Turismo (Setur) é que 25 mil pessoas – incluindo 20 mil turistas – visitem Serrinha nesse período.

Redação Notícias de Santaluz