Do G1 BA
riachao

Riachão do Jacuípe é a segunda com maior número de suspeitas de contaminação pelo vírus chikungunya

Depois de Feira de Santana, a cidade de Riachão do Jacuípe é a segunda com maior número de suspeitas de contaminação pelo vírus chikungunya, de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab). São 120 notificações e sete casos confirmados. Há notificações sendo avaliadas em outras sete cidades da Bahia.

Em Riachão, a maioria das pessoas com a suspeitas mora na Rua Carneiro Vitória, no bairro Alto do Cemitério. Entre elas, está Isabel, de 88 anos, que já está há um mês de cama. A filha dela, Agda Oliveira, também afirma estar com a doença. “Eu sinto coceira do corpo, o corpo todo empolado, muitas dores nas juntas e dores de cabeça”, descreve a gerente de loja. Ela diz que em sua família sete pessoas estão com suspeitas.

Na casa ao lado, a aposentada Joana do Rosário afirma que somente duas das seis pessoas não foram picadas. Os moradores acreditam que o foco do mosquito fica em uma casa que está abandonada. No local, há vasilhas plásticas, que podem acumular água da chuva. Agentes da Viligância Epidemiológica fazem visitas constantes ao bairro. “Fizemos capacitação com os profissionais de saúde, a aplicação com as bombas costais, o fumacê também está no município e a Vigilância indo nos municípiso como um todo”, afirma a coordenadora Jane Paula Ribeiro.

Feira de Santana
A cidade com o maior número de casos no Brasil é Feira de Santana. A Secretaria Municipal de Saúde confirmou que o número de casos aumentou em cinco vezes na cidade, atingindo 156 casos da doença na terça-feira (8), além de outras 585 notificações da suspeita.