Do G1 BA
face

Professora foi encontrada morta dentro da casa onde morava, em Riachão do Jacuípe| Foto: Reprodução / Facebook

O almoxarife Cássio Fabrício Carneiro, de 29 anos, investigado por suspeita de envolvimento na morte da noiva, a professora Ienata Pedreira Rios, em Riachão do Jacuípe, foi liberado da cadeia nesta quinta-feira (4) após passarquase um mês preso. A informação foi divulgada ao G1 pelo delegado da cidade, Sergio vasconcelos. Conforme o delegado, o prazo de 30 dias para conclusão do inquérito que apura o caso pela Polícia Civil expirou sem que ficasse comprovado o envolvimentro de Cássio na morte da professora. Por conta disso, conforme Vasconcelos, a Justiça decidiu que o suspeito, que cumpria prisão temporária na delegacia da cidade de Teofilândia, continue sendo investigado em liberdade. O almoxarife deixou a cadeia por volta das 16h desta quinta-feira. Ainda de acordo com Vasconcelos, o almoxarife terá de seguir algumas condições impostas pela Justiça para que possa responder em liberdade. “Ele deve comparecer à Justiça a cada trinta dias, não pode se ausentar da cidade sem comunicar à Justiça e nem entrar em contato com familiares da vítima ou testemunhas”, disse. O delegado informou que, além de Cássio, pelos menos outras duas pessoas são investigadas por suspeita de participação no homidício.