xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.vTKkYkGFYA

Foto: Agência Brasil

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou nesta sexta-feira (13) que os rumos do setor no qual atua estão nas mãos do Congresso Nacional no próximo ano. “Houve uma queda muito grande de receita, precisa compensar isso para manter esse esforço. Fiz uma audiência essa semana para destacar para os parlamentares que vão votar o orçamento. A queda do preço do petróleo não permitiu a expectativa que nós tínhamos [com repasse de 50% do Fundo Social do Pré-Sal para a educação] e o Brasil precisa de mais receita para a educação”, disse segundo informações do jornal Folha de S. Paulo. A audiência a qual Mercadante refere-se ocorreu na última quarta (11), onde tratou de novas fontes de recursos para a educação e o impacto da redução do orçamento no Plano Nacional de Educação (PNE). “A queda do preço do petróleo não permitiu a expectativa que nós tínhamos”, apontou. Na reunião, ele sinalizou também que está discutindo a base curricular do ensino médio. “Uma das questões é associar o ensino médio ao ensino técnico. Temos que manter a estrutura acadêmica, o ensino regular, mas precisa abrir uma janela para o ensino técnico profissional”.