Do G1, em São Paulo
aedes-mosquito

Mosquito Aedes aegypti transmite zika, chikungunya, dengue e febre amarela | Foto: Paulo Whitaker/Reuters

O vírus da zika agora circula em todas as unidades da federação, segundo boletim divulgado nesta terça-feira (29) pelo Ministério da Saúde. Nesta semana, Acre, Amapá, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – últimos estados que ainda não tinham circulação autóctone do vírus – comunicaram a pasta que identificaram o vírus em seus territórios. O número de casos confirmados de microcefalia no Brasil chegou a 944. Ao todo, foram 6.776 notificações desde o início das investigações, em 22 de outubro, até 26 de março. Segundo a pasta, 1.541 casos foram descartados e outros 4.291 casos ainda estão sendo investigados. Dos casos confirmados de microcefalia, 130 tiveram teste positivo para o vírus da zika. Em uma semana, desde a divulgação do último boletim, foram 105 novas notificações, 37 casos confirmados e 70 casos descartados. O Nordeste concentra 78% das notificações e os casos confirmados se distribuem em 358 municípios de 21 unidades da federação: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Amazonas, Pará, Rondônia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Paraná. O estados com maior número de casos confirmados de microcefalia é Pernambuco, seguido por Bahia, Paraíba e Rio Grande do Norte.