Share Button
Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

O livro “A bailarina da morte – A gripe espanhola no Brasil”, recém lançado pela Companhia das Letras, traz diversas curiosidades a respeito da epidemia, dentre elas uma a respeito de uma das bebidas mais famosas do Brasil. De acordo com informações do jornal O Globo, a obra escrita por Lilia Schwarcz e Heloisa Starling quando a pandemia da Covid-19 começou no país mostra que a caipirinha foi criada para combater a “gripe espanhola”. Segundo o jornal, o livro conta que a mistura do aguardente, limão e mel nasceu como remédio improvisado, em São Paulo, e mesmo sem qualquer comprovação científica ou medicinal da eficácia, ela acabou no gosto do povo. A obra revela ainda que a canja de galinha também foi usada na tentativa de tratar a doença, no Rio de Janeiro. Apesar de tampouco ter a eficácia comprovada, acabou ficando no imaginário popular como comida para tratar os enfermos.