Share Button

Por G1

O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara | Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara | Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira (8), que eventual aprovação da reforma da Previdência será uma construção do Congresso, e não do governo do presidente Jair Bolsonaro. Aprovada pela comissão especial na semana passada, a proposta, que mexe nas regras de aposentadoria de servidores públicos e de trabalhadores do setor privado, deve ser votada no plenário da Câmara nesta semana. “A construção da vitória, se ela acontecer, será uma construção do Parlamento, não será uma construção do governo”, afirmou Maia. Para ele, só foi possível chegar a um texto com viabilidade de ser aprovado no plenário graças à “capacidade de diálogo” e ao “equilíbrio” dos parlamentares. “Acho que a construção desse texto se deve à capacidade de diálogo, ao equilíbrio do parlamento brasileiro. Todos participaram. Aqueles que defendem a proposta e aqueles que não defendem a proposta. Então, é importante que a gente entre nesta semana com essa clareza, que a construção do texto foi uma construção parlamentar”, completou o presidente da Câmara. Na avaliação de Maia, o governo tem ajudado nas últimas semanas, mas “atrapalhou em alguns momentos” para o andamento da matéria. Desde o início da tramitação da reforma, em fevereiro, a articulação política do governo foi alvo de intensas críticas por parte de Maia.