Gedde

Foto: Divulgação

Ácido e provocador, o presidente estadual do PMDB, Geddel Vieira Lima, vinculou a adesão do PTN ao governo Rui Costa (PT) ao cenário político de 2018 com uma inusitada declaração: “A sensação que tenho é que ele (Rui) dorme com a mulher e acorda com (ACM) Neto”. Para o peemedebista, a atração do PTN, um dos maiores partidos da base do prefeito de Salvador, ACM Neto, para a zona de influência do governo estadual é reflexo da tentativa de Rui em capitalizar-se politicamente para enfrentar o chefe do Executivo soteropolitano em 2018, quando tentará a reeleição. “Ele tem 20 dias de governo, deveria se preocupar mais com a gestão”, afirmou Geddel, em entrevista à rádio Metrópole nesta terça-feira (20). Na análise do dirigente do PMDB – segundo ele ancorada na vivência política -, a movimentação política orquestrada para a atração do PTN para a base estadual é resultado das articulações para 2018, na tentativa de Rui Costa limitar as alianças de ACM Neto na virtual tentativa de ascensão do prefeito de Salvador para o Palácio de Ondina.