Estudantes com rodos, panos de chão e água para limpar as salas de aula. Essa foi a saída encontrada por alguns alunos da Escola Constantino Catarino de Souza, da rede estadual de ensino público em Luís Eduardo Magalhães, na região oeste da Bahia.

Os serviços de limpeza estão suspensos nas unidades de ensino do estado por conta de uma paralisação de funcionários que pedem pagamento de salários atrasados há dois meses.

A direção da escola informou que sensibilizou os estudantes para que realizassem a limpeza das salas até que a situação fosse regularizada. “Talvez quando elas retornarem [funcionárias da limpeza] eles [alunos] deem mais valor e não sujem tanto as salas”, disse a diretora da unidade, Maria Geralda da Silva.

Os estudantes limpam as salas, mas não concordam em ter que perder parte da aula para fazer o serviço. “A gente acorda todos os dias na intenção de vir estudar, porque nós estamos aqui para estudar, não para limpar a escola. É uma falta de respeito porque todos nós na escola aprendemos que a gente tem que ter educação. Então a gente tem que primeiro ter educação da escola para depois a escola exigir educação da gente”, diz a estudante Jhúlia Magalhães.

“Estamos em época de vestibular, a gente precisa do máximo de tempo para estudar para tentar amenizar isso aí, mas não tem como, porque a gente tem que manter nossa escola limpa”, afirmou o aluno Rodrigo dos Santos. (G1/BA)