Cerca de 120 trabalhadores da região de Araci foram resgatados exercendo trabalho em condições degradantes, em Minas Gerais. (Foto: Reprodução)

Uma equipe da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) em parceria com representantes da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) do Mato Grosso vão mapear, entre os dias 15 a 17, as necessidades dos trabalhadores do município de Araci, resgatados em julho do ano passado, em um canteiro de obras de condomínios de luxo na cidade de Belo Horizonte (Minas Gerais), exercendo trabalho em condições degradantes.

“Esse primeiro momento possibilitará que a equipe possa avaliar o perfil desses trabalhadores. E, a partir desse diagnóstico, convidar àqueles que se mostrarem aptos e dispostos a participar do projeto Ação Integrada, que os integrará ao mercado formal de trabalho, além de oferecer cursos profissionais, elevação de escolaridade e acompanhamento social”, afirma Patrícia Lima, coordenadora da Agenda Bahia do Trabalho Decente.

Com apoio da Organização Internacional do Trabalho (OIT), o projeto Ação Integrada é considerado uma solução para que os trabalhadores resgatados recebam capacitação profissional, conquistem um trabalho decente e não voltem para as condições degradantes ou análogas. Ano passado, cerca de 120 trabalhadores da região de Araci foram resgatados graças a uma denúncia encaminhada ao Programa de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (PETP/MG), da Secretaria de Estado de Defesa Social de Minas Gerais.