Share Button

Por G1

Bruno Ganz em 'A queda! As últimas horas de Hitler' (2004) | Foto: Divulgação

Bruno Ganz em ‘A queda! As últimas horas de Hitler’ (2004) | Foto: Divulgação

Um trabalhador australiano ganhou na Justiça o direito de receber 200 mil dólares australianos (o equivalente a cerca de R$ 770 mil) após ser demitido pela petroleira BP por ter compartilhado um meme de Hitler, durante negociações salariais com a empresa. O clipe compartilhado por Scott Tracey usa um conhecido trecho do filme alemão “A queda! As últimas horas de Hitler”, de 2004, em que o ditador, interpretado pelo ator Bruno Ganz, é mostrado aos gritos com generais após a Alemanha perder a Segunda Guerra Mundial. A paródia teria sido feita pela esposa do trabalhador. Ao decidir pela demissão de Tracey em 2018, a petroleira afirmou que o vídeo comparava executivos da empresa a nazistas e que mostrá-lo a colegas utilizando um computador da empresa representava uma quebra do código de conduta, de acordo com a imprensa local. Em fevereiro deste ano, o trabalhador foi reintegrado à empresa por decisão da Justiça. Além disso, a empresa foi condenada a pagar a remuneração devida a Tracey pelo tempo que ele ficou afastado do emprego, além das contribuições para sua aposentadoria. A petroleira BP não comentou a decisão.