Policiais Militares se preparam para exigir durante a assembleia da categoria nesta terça-feira, às 15 horas, no Ginásio dos Bancários, o fim da escala de ciclo/período e regularização da gratuidade do transporte público para PMs de toda a Bahia. “A mudança que o governo disse que fez na escala dos PMs de nada alterou a situação dos irmãos de farda. Os policiais continuam trabalhando 50, 60 horas semanais, quando só deveriam cumprir 40. Um absurdo!”, reclama. Os PMs também querem a regularização imediata do direito de gratuidade do transporte público. “Pelo menos dois mil continuam tirando dinheiro do bolso para ir trabalhar. Não vamos aceitar. Ambos são direitos previstos em lei”, ressalta o vereador soldado Prisco, coordenador-geral da Associação dos Policiais Militares e Bombeiros do Estado da Bahia (ASPRA-Ba). A categoria pode suspender as atividades caso o governo não se pronuncie sobre as duas demandas. A promessa é de que PMs da capital e do interior participem do encontro. “Qualquer decisão a ser tomada será pela categoria. A vontade dos PMs é soberana”, analisou.  (Correio da Bahia)