Nesta quinta-feira (27), líderes de todos os partidos da base da presidente Dilma Rousseff tiveram uma reunião reservada com a mandatária nacional do Palácio do Planalto para debater as perturbações políticas do país e assegurar apoio na questão do plebiscito que a petista deseja para breve. Neste encontro, houve destaque para o presidente nacional do PTB, Benito Gama. E não foi positivo. O baiano, que atualmente exerce o cargo de vice-presidente e governo da Caixa Econômica Federal, expôs suas ideias e, entre elas, estava a defesa do fim da reeleição. Entretanto, a bandeira foi censurada por olhares na mesa de maneira veemente, uma vez que Dilma Rousseff deseja se reeleger no ano que vem e, teoricamente, todas as mudanças discutidas no momento teriam efeito já no pleito de 2014. Depois de cair em si e ver que sua proposta não teria quórum, Benito se corrigiu e disse que, na verdade, a possibilidade seria apenas para se concretizar em 2018. Apesar da saia justa, o petebista não é um solitário na ideia. O próprio ex-presidente Lula afirmou durante bom tempo ser partidário de um mandato único de 5 anos sem reeleição. Entretanto, se reelegeu e ficou 8 anos no poder. As informações são da coluna Painel, da Folha de S. Paulo. (Bocão News)