Com receio de protestos durante a Copa do Mundo em 2014, assim como os que aconteceram durante a Copa das Confederações, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, afirmou que pode ter errado na escolha do Brasil como país-sede.

“Se os protestos acontecerem novamente temos de questionar se tomamos a decisão errada”, disse à agência de notícias alemã DPA.

As manifestações ocorreram em junho, durante o evento-teste do Mundial, quando milhares de brasileiros foram as ruas protestar contra o aumento das passagens (em alguns centros) e cobrar por seus direitos.

Logo após o fato, a Fifa se reuniu com o governo brasileiro para garantir que a Copa do Mundo não seja atrapalhada e alguns rumores deram conta que a competição pudesse não ser realizada, o que foi negado. O presidente da entidade, Joseph Blatter, e a presidenta do Brasil, Dilma Roussef conversarão sobre o assunto em setembro.