Share Button

Por Reuters

Foto: Dominique Patton / Reuters

Foto: Dominique Patton / Reuters

A exportação de carne suína do Brasil ultrapassou pela primeira vez a marca de 100 mil toneladas, na esteira da ampla demanda da China pela proteína em meio ao surto de peste suína africana no país asiático, disse a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) na sexta-feira (5). Em maio, o país embarcou 102,4 mil toneladas, considerando o produto in natura e processado, alta de 52,2% ante as 67,2 mil toneladas exportadas no mesmo período do ano passado. Em receita, as vendas mensais de carne suína alcançaram US$ 227,9 milhões, 58,4% acima do alcançado no quinto mês de 2019. No acumulado do ano até maio, as exportações da proteína chegaram a 383,2 mil toneladas, volume 34% acima do efetivado nos cinco primeiros meses de 2019, com 285,9 mil toneladas. “Ultrapassamos pela primeira vez o patamar de 100 mil toneladas e de US$ 200 milhões em um único mês. Apesar de extremamente positivo, era um comportamento esperado pelo setor para este ano, mesmo com o enfrentamento da pandemia”, disse em nota o presidente da ABPA, Francisco Turra. Segundo ele, as vendas para o mercado internacional contribuem para reduzir a elevação dos custos produtivos.