Dois jejuns de uma vez. A Seleção Brasileira matou contas pendentes ao vencer a França por 3 a 0, neste domingo, na Arena Grêmio. A seis dias da Copa das Confederações, o Brasil teve um primeiro tempo ruim, mas fez valer o apoio dos gaúchos, levou a melhor com gols de Oscar,  Hernanes e Lucas e poderá chegar mais otimista à Copa das Confederações, no próximo sábado, diante do Japão. O trauma mais significativo a ter se encerrado foi contra as campeãs mundiais. Exceto duelos “caseiros” contra a Argentina no Superclássico das Américas, o Brasil ainda não havia superado um rival deste calibre no ciclo que se iniciou depois da Copa do Mundo 2010. Nesse período, somaram-se resultados ruins contra Itália, Alemanha, Inglaterra, a própria França e a ainda diante dos argentinos em duelos de força máxima. O segundo jejum que chega ao fim é diante dos franceses, vilões da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1998 e também em 2006. O time de Didier Deschamps teve desfalques importantes na Arena do Grêmio, como Ribéry, Varane e Evra, e assim permitiu ao Brasil a vitória depois de 21 anos. O último triunfo havia sido em 1992, ainda sob o comando do hoje coordenador técnico Carlos Alberto Parreira. 

BRASIL 3 x 0 FRANÇA 

Gols: Oscar, aos 9min, Hernanes, aos 40min, e Lucas, aos 48min do segundo tempo 

BRASIL: Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Paulinho (Dante) e Luiz Gustavo (Hernanes); Hulk (Lucas), Oscar (Fernando) e Neymar (Bernard); Fred (Jô)

Treinador: Luiz Felipe Scolari /// FRANÇA: Lloris; Debuchy, Rami, Sakho e Mathieu; Guilavogui; Valbuena (Lacazette), Cabaye (Gomis), Matuidi (Giroud) e Payet; Benzema (Grenier). Treinador: Didier Deschamps.