Para a oposição o evento foi superfaturado.

A prefeitura de Cabaceiras do Paraguaçu, localizada no recôncavo baiano, gastou cerca de R$ 9.400,00 (nove mil e quatrocentos reais) com canetas esferográficas para a realização da Jornada Pedagógica no último mês de fevereiro. Os valores suspeitos foram descobertos  pelos vereadores de oposição ao prefeito Paulo André Braz da Silva (PRP), que em consulta ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), acharam estranho os valores gastos com as canetas. Segundo o vereador Nilson Ferreira da Conceição (PMDB), cerca de 200 professores participaram do evento educacional, onde foi distribuído um kit com bolsa e caneta.

A oposição denunciou o fato na última sessão na Câmara de vereadores, e exigiu explicações da secretária de educação Cristiane da Paz, e do gestor, sobre os supostos gastos abusivos da Jornada, que não contou com grandes nomes da educação, como é comum, em eventos dessa natureza. Segundo o parlamentar, tendo em vista a não contratação de um palestrante de reconhecimento midiático, o evento custou caro aos cofres do município. Nos registros do TCM costa que o evento foi avaliado em quase 30 mil reais, sendo R$ 5.000,00 (cinco mil reais) de carro de som, R$6.800,00 (seis mil e oitocentos reais) com bolsas porta lápis e R$8.000,00 (oito mil reais), para ornamentação do clube, sendo que  o restante dos valores foram  destinados a compra das referidas canetas. Os vereadores de oposição prometem acionar o Ministério Público, caso não se comprove os gastos. Até o momento a Secretaria de Educação não emitiu respostas sobre as denúncias.