xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.r_A9KbvGfm

Foto: João Alvarez/ CreaBA

A promotora responsável pelo caso do Instituto Brasil, Rita Tourinho, informou que ouvirá nos próximos dias novas testemunhas ligadas à ONG, para apurar as denúncias de um esquema de desvio de recursos públicos para construção de casas populares no interior do estado. Integrante do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Patrimônio Público e da Moralidade Administrativa (Gepam) do Ministério Público, ela manteve sigilo sobre os nomes das pessoas convocadas para depor e as datas das audiências, mas afirma que os candidatos petistas citados pela presidente do instituto, Dalva Sele Paiva, em entrevista à revista Veja, não estão na lista. “Para evitar que ocorra exposição desnecessária das testemunhas, vamos manter reserva nessa fase de depoimentos”, explicou. Rita disse ainda que o MP iniciou investigações sobre outros convênios firmados entre governo do estado e prefeituras. “Nas denúncias que a presidente do instituto fez à Veja, ela cita movimentação de cerca de R$ 50 milhões. Por enquanto, nós havíamos detectado desvios que totalizam R$ 6 milhões”, afirma. A promotoria agora quer verificar a veracidade das informações e saber de onde vieram esses supostos recursos. Informações do Correio.