IMAGEM_NOTICIA_5 (1)

Foto: Reprodução / Primeira Hora

Casos de epidermólise bolhosa hereditária, doença rara e grave que forma bolhas na pele, no sudoeste baiano motivaram um estudo da Universidade Estadual da Bahia (Uneb). Na região foram registrados 60% dos casos da doença na Bahia, ou 36 dos 62 registros conforme a Associação de Familiares, Amigos e Portadores de Epidermólise Bolhosa da Bahia (Afapeb). Segundo o G1, a pesquisa aponta que o número de casos da doença hereditária pode ser resultado de uniões consanguíneas [entre parentes]. Os casos no sudoeste são concentrados nas cidades de Barra da Estiva e Vitória da Conquista. Em Barra da Estiva, dez pessoas são acompanhadas, e em Conquista, sete. A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) informou não ter acesso ao levantamento de diagnosticados com a doença.