Nestor-Cervero-presta-novo-depoimento-na-CPI-da-Petrobras-Foto-Wilson-Dias-Agencia-Brasil201409100008

Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil

O ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, acusou a presidente afastada Dilma Rousseff de ter mentido sobre a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Segundo a Folha de S. Paulo, ele disse que a petista sabia do pagamento de propinas para políticos do PT. A informação foi passada em sua delação premiada à força tarefa da Operação Lava Jato. Dilma era presidente do Conselho de Administraçaõ da Petrobras em 2006, quando a estatal adquiriu a refinaria. Cerveró afirmou que “não corresponde à realidade” a afirmação de que ela aprovou a compra pois não tinha informações completas. Além disso, ele disse que “houve certa pressa” na aprovação do projeto pelo conselho. “Que Dilma Rousseff tinha todas as informações sobre a refinaria de Pasadena; que o Conselho de Administração não aprova temas com base em resumo executivo; que o projeto foi aprovado na Diretoria Executiva da Petrobras numa quinta e na sexta o projeto foi aprovado no Conselho de Administração; que esse procedimento não era usual”, declarou Cerveró. O ex-diretor da estatal está preso pela Operação Lava Jato desde janeiro de 2015. Ele aceitou o acordo de delação premiada em novembro do ano passado  e será liberado para cumprir pena em casa a partir do dia 24 de junho, utilizando tornozeleira eletrônica.