O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou hoje (22) mudanças na linha de crédito rural com recursos dos fundos constitucionais do Norte e Nordeste, melhorando as condições para quitação de débitos e novos financiamentos. A medida é parte da política iniciada pelo governo no ano passado de mitigação dos problemas dos agricultores prejudicados pelos efeitos da seca. Entre as alterações aprovadas está a elevação de R$ 100 mil para R$ 200 mil do valor das operações de crédito habilitadas à liquidação com os benefícios da linha especial. O CMN também reduziu de até 4,12% para 3,5% ao ano o valor dos juros nos financiamentos e aumentou de um para três anos o prazo de carência para início do pagamento. Além disso, eliminou o teto de R$ 200 mil para tomada de novos empréstimos. Agora, não há mais limite financeiro para a contratação.