(Foto: Antonio Cruz / ABr)

proposta apresentada nesta terça-feira (02) pela presidenta Dilma Rousseff ao Congresso Nacional prevê a consulta pública em forma de plebiscito sobre cinco temas. Confira os pontos:

Coligações partidárias

A manutenção ou não da existência de coligações partidárias para as eleições de deputados e senadores.

Voto secreto

O fim ou não do voto secreto no parlamento (Senado e Câmara).

Financiamento de campanhas

O texto do Executivo sugere que os eleitores sejam consultados sobre o modelo de financiamento de campanhas. Entre as possibilidades citadas estão o uso exclusivo de recursos públicos nas campanhas, a utilização somente de verbas privadas e um modelo misto, com a combinação dessas duas fontes.

Sistema eleitoral

No debate está o sistema proporcional, como acontece hoje, e o voto distrital puro ou misto.

– O voto distrital prevê um sistema de escolha majoritário para parlamentares. Os estados seriam divididos em pequenas regiões, que escolheriam seus representantes com base no número de votos de cada um.

– No sistema misto, uma parcela dos candidatos é eleita pelo sistema proporcional.

– A proposta do Executivo também prevê o debate sobre o voto em lista fechada – em que os eleitores deixam de votar diretamente no candidato para votar em um partido político.

– Já o voto em lista flexível é uma combinação do voto em lista aberta e fechada. Outra proposta seria o voto em dois turnos.

Suplência de senadores

Hoje cada candidato é eleito com dois suplentes. As coligações partidárias, que são uma espécie de acordo entre partidos políticos diferentes para as eleições, também podem ser proibidas. O voto secreto dos parlamentares é outro tema em discussão. Hoje, o voto secreto é previsto nos casos de cassação de mandato parlamentar e deliberação sobre o veto presidencial, por exemplo.